CIDADANIA

Rodovia que Bolsonaro vetou duplicação é a que mais mata no Rio Grande do Norte

A BR-304, que liga Natal a Mossoró, é apontada como a rodovia federal que mais mata no Rio Grande do Norte. A duplicação dela foi proposta pelo senador Jean Paul Prates (PT), mas vetada pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (PL) na quinta-feira (11).

Bolsonaro vetou também na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO – Lei 14.436) a construção do Cinturão das Águas; a adequação das BR-405 (Jucurí) e BR-104, que liga Lajes a Cerro Corá; além da finalização da Reta Tabajara, trecho mais crítico da BR-304, com obras iniciadas em 2014.

Foram registradas pela Polícia Rodoviária Federal 137 mortes em 514 acidentes entre 2017 e 2021. A BR-304 tem 267 quilômetros de extensão. Curvas, os altos e baixos podem dificultar a visão dos motoristas mesmo durante o dia.

Dois acidentes marcaram esta semana. Um ciclista foi atingido por um caminhão baú enquanto trafegava pela BR-304, em Mossoró, na manhã do dia 6. A colisão transversal aconteceu nas proximidades do KM 32. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foi acionado e socorreu a vítima que ficou em estado grave.

No dia 9, dois carros se envolveram em um acidente no perímetro de Assu. Um dos veículos tentou ultrapassagem e teve que sair da via, atingindo um poste.

SAIBA MAIS: Bolsonaro veta na LDO duplicação da BR-304, da Reta Tabajara e construção do Cinturão das Águas no RN

Repercussão

Políticos do Rio Grande do Norte se manifestaram em suas redes sociais sobre o veto à obra. O autor da proposta, senador Jean Paul, lembrou que o pleito é de 2019.

“O presidente mostra seu descompromisso com o povo potiguar. Desde 2019, garantimos a duplicação da BR-304 no rol de obras do Governo; depois, aprovamos anualmente a inclusão de recursos específicos para viabilização da obra. Para o próximo ano, Bolsonaro VETOU totalmente o projeto”.

O deputado estadual Francisco do PT publicou: “Sem recursos para duplicação da BR-304 e da reta Tabajara; e sem dinheiro para o cinturão das águas. Bolsonaro não promete, ele efetivamente tira da LDO os principais investimentos federais para a infraestrutura no Rio Grande do Norte”.

A deputada federal Natália Bonavides (PT) expôs o veto ressaltando que é preciso derrotar o bolsonarismo: “Bolsonaro inimigo do RN! Numa canetada só, o ainda presidente vetou a duplicação da BR 304 aqui no estado e a implantação do Cinturão das Águas do RN. Repito: derrotar o bolsonarismo e seus aliados é questão de amor ao povo potiguar!”.

O pré-candidato ao Senado e ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo Alves (PDT) considerou a medida um ataque ao desenvolvimento do estado.

“Tenho defendido a importância de integração logística do nosso RN. A duplicação da BR-304, ligando as duas maiores cidades e cortando o Estado, precisa ser prioridade. O veto do governo federal ao projeto é um ataque frontal ao desenvolvimento do RN”, publicou.

O deputado federal Girão (PL) justificou que a obra deve ser nas mãos de empresários e só será feita com a privatização da BR-101 formalizada.

“Primeiro será feita uma terceira faixa com recursos de conservação e manutenção. A terceira faixa está prevista pra começar ainda neste ano de 2022 e prosseguir em 2023 (…) A empresa que assumir a privatização vai assumir o compromisso de duplicar a BR-304”.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Isabela Santos é jornalista e repórter da agência Saiba Mais