DEMOCRACIA

Rogério Marinho se apropria de marcas do Governo Federal para tentar alavancar candidatura

O ex-ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho (PL) tem associado sua imagem nas redes sociais ao Governo Federal para buscar alavancar seus números na corrida ao Senado. Na pesquisa Ipec, ex-Ibope, divulgada nesta segunda-feira (22), Marinho aparece em segundo lugar nas pesquisas para senador.

Rogério Marinho foi ministro do governo Bolsonaro de fevereiro de 2020 a março de 2022, quando foi exonerado para concorrer às eleições. De lá para cá, vem elencando feitos da sua pasta e também de outras esferas do Governo Federal. 

Há duas semanas, por exemplo, o ex-ministro publicou um vídeo da conta oficial de Bolsonaro no TikTok, que mostra “realizações notáveis do Governo Federal nos últimos anos”. 

A lista traz 55 pontos e fala, dentre outros, de “redução recorde de homicídios e crimes violentos”, “apreensão recorde de drogas”, “criação de 130 escolas cívico-militares” e até da criação do PIX, que não eram de responsabilidade de Rogério nem quando foi secretário de Previdência e Trabalho e nem ministro do Desenvolvimento Regional. 

O PIX, inclusive, virou motivo de polêmica na noite desta segunda no Jornal Nacional, quando o presidente afirmou ser o criador da ferramenta. O meio de pagamento, entretanto, começou a ser criado em 2018 pelo Banco Central, ainda durante o governo Michel Temer.

Em outras publicações, Rogério faz questão de reivindicar trabalhos que eram de sua alçada, como a obra em andamento da Barragem de Oiticica. Quando ficar pronta, ela será a barragem que irá receber e armazenar as águas da Integração do Rio São Francisco. “Nosso trabalho em parceria com o governo federal, na figura de Jair Messias Bolsonaro, gira em torno de três pilares: avaliação, projeto, execução”, diz a legenda.

Já em trecho de uma entrevista publicada no seu perfil, Marinho diz que o atual governo federal é “realizador”. “Nós somos um governo que temos muito a apresentar. Então não tenho porque me envergonhar desse governo. Não tenho porque me esconder e não testemunhar, não falar para as pessoas, de que houve uma mudança substancial no nosso país”.

Na primeira pesquisa Ipec sobre a corrida eleitoral no Rio Grande do Norte, Carlos Eduardo (PDT) aparece na liderança para o Senado com 27%. Marinho (PL) vem atrás com 17% e está tecnicamente empatado no limite da margem de erro com o deputado federal Rafael Motta (PSB), que possui 14% das intenções de voto.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo