DEMOCRACIA

SAIBA MAIS é a única do RN entre as 16 empresas selecionadas pelo Google para projeto de jornalismo digital

O Google anunciou as 16 empresas de notícias selecionadas para participar da segunda edição do GNI Startups Lab, o programa de aceleração voltado ao jornalismo e desenvolvido pela empresa em parceria com a Ajor e a Echos, laboratório de futuros desejáveis. Do Rio Grande do Norte, apenas a Agência SAIBA MAIS foi selecionada. O anúncio foi feito nesta quarta-feira (03), por Fabiana Zanni (Head de Ecossistemas e Associações, Parcerias de Notícias, América Latina), no Blog do Google Brasil.

Em e-mail enviado comunicando a seleção, o Google Brasil disse que a Agência SAIBA MAIS  “foi escolhida entre centenas de inscritos por um júri composto por membros das entidades parceiras da Google News Initiative com base nos seguintes critérios: proposta de valor à sociedade clara e bem definida; adequação do produto às necessidades do mercado; qualificação da equipe; viabilidade de execução; contribuição para a diversidade, equidade e inclusão no ecossistema de notícias e ter uma política de ética corporativa bem definida”.

“Aguardamos com muita ansiedade essa seleção porque vimos no programa Startups Lab da Google News Initiative a possibilidade real de conquistar o salto que tanto almejamos como organização de jornalismo independente”, comemora o fundador e editor-geral da SAIBA MAIS, Rafael Duarte.

GNI Startups Lab está em sua segunda edição

Em sua segunda edição no Brasil, o programa se propõe a ajudar as novas empresas da indústria de notícias a inovar, desenvolver novos modelos de negócios mais inclusivos e sustentáveis dentro do jornalismo.

Em 2022, o número de startups no programa foi ampliado de 10 para 16 veículos jornalísticos. Das iniciativas selecionadas, 12 são associadas à Ajor (Associação de Jornalismo Digital): ((o))eco, Agência SAIBA MAIS, Ambiental Media, Correio Sabiá, Desenrola e Não Me Enrola, Fala Roça, Fiquem Sabendo, Jornal Plural, Matinal Jornalismo, Nós, Mulheres da Periferia, Rádio Guarda-Chuva, Reset.

As empresas selecionadas receberão 16 semanas de workshops e treinamento com acompanhamento individual, sobre temas fundamentais para a viabilidade financeira de um meio jornalístico, estratégia de negócio, identidade de produto, vendas e marketing, construção de comunidade e captação de recursos.

Além disso, cada veículo selecionado receberá US$ 20 mil (valores brutos) em financiamento para ser utilizado pelos fundadores ao longo do programa.

A experiência gerada pelo programa em sua primeira edição, concluída em 2021, juntamente com insights de muitos empreendedores e a experiência coletiva de parceiros confiáveis e da Google News Initiative resultou em um playbook, que reúne o passo a passo da aceleração para que qualquer empresa jornalística também possa se beneficiar.

“Estamos em um momento de estruturação de um novo ecossistema do jornalismo em redes digitais. E esse programa nos dá a oportunidade de descobrir e estruturar o nosso modelo de negócio, para garantir a sobrevivência do nosso trabalho como jornalistas independentes. É um momento de aprender o novo caminho como empresa de jornalismo digital”, conclui a jornalista Cledivânia Pereira, editora de novos projetos da Agência SAIBA MAIS.

O Startups Lab começa em 15 de agosto e se estende até 2 de dezembro.

Confira a lista dos veículos selecionados:

Agência SAIBA MAIS (Natal – RN): coletivo nativo digital de jornalistas com o olhar voltado para a defesa dos direitos humanos e da democracia. Sua missão é dar visibilidade às narrativas silenciadas da sociedade produzindo jornalismo sobre e para o estado brasileiro do Rio Grande do Norte (RN).

((o))eco (Rio de Janeiro – RJ): documenta os desafios, retrocessos e avanços dos temas relacionados à conservação da natureza, biodiversidade e política ambiental no Brasil.

Agência Diadorim (São Paulo – SP): agência de jornalismo independente e de interesse público, criada em janeiro de 2021, focada na promoção dos direitos da população LGBTI+ e da diversidade no ecossistema de notícias.

Ambiental Media (São Paulo – SP): realiza investigações jornalísticas baseadas em ciência e dados. Mergulha na melhor ciência disponível sobre os temas mais relevantes para trazer à tona resultados e evidências que fazem a diferença na vida das pessoas.

Ceará Criolo (Fortaleza – CE): Primeiro portal de comunicação antirracista profissional do Ceará. Produz conteúdo sobre a população negra numa perspectiva de protagonismo e agenda positiva.

Correio Sabiá (Brasília – DF): organização jornalística independente dedicada a fazer as pessoas realmente entenderem o noticiário, com curadorias diárias e especializadas de conteúdo (áudio/texto) e materiais de contexto que jogam luz sobre o que merece maior atenção do leitor/ouvinte.

Desenrola e Não Me Enrola (São Paulo – SP): iniciativa de jornalismo independente e periférica especializada na cobertura jornalística das periferias e favelas. Sua linha editorial visa promover na audiência o empoderamento e a descolonização de imaginários sobre sujeitos e territórios periféricos.

Fala Roça (Rio de Janeiro – RJ): organização de mídia local sem fins lucrativos, na Rocinha, a maior favela do Brasil, no Rio de Janeiro, fundada em 2013. Fornece notícias locais por meio de apurações feitas com os moradores, em uma publicação impressa bimestral e em um site, ambos gratuitos.

Fiquem Sabendo (São Paulo – SP): Agência de dados públicos especializada na Lei de Acesso à Informação

Jornal Plural Ltda. (Curitiba – PR): Jornal on-line de notícias locais, com sede em Curitiba. Fundado por três jornalistas a partir de uma campanha de Catarse, tem hoje audiência de 500.000 usuários mensais. Além do site, distribui conteúdos via redes sociais, podcasts, newsletter e YouTube.

Matinal Jornalismo (Porto Alegre – RS): jornal local que produz reportagens, curadoria, agenda e opinião sobre política, economia e cultura em Porto Alegre e RS. Publica uma newsletter diária, além de boletins semanais exclusivos para assinantes.

Nós, Mulheres da Periferia (São Paulo – SP): startup de jornalismo, liderada por mulheres negras e periféricas, que produz conteúdo multimídia com recorte de gênero, classe, raça e território.

Portal Tailândia (Tailândia – PA): portal de notícias, pioneiro em jornalismo digital profissional, no nordeste do Pará, na Amazônia brasileira. Seu conteúdo é replicado por dezenas de sites e emissoras de TV por todo o Estado.

Rádio Guarda-Chuva (São Paulo – SP): primeira rede brasileira de podcasts exclusivamente jornalísticos. Abriga sete podcasts brasileiros recorrentes de diferentes regiões do país, que produzem conteúdo jornalístico autoral; e duas séries jornalísticas em podcast.

Reset (São Paulo – SP): serviço de informação e análise com foco na cobertura de economia e negócios pela lenta ESG (sigla para Environmental, Social and Governance). Produz reportagens exclusivas e estudos aprofundados que publicamos no site e também envia para base de assinantes gratuitamente.

Site Coreto (Poções – BA): veículo de jornalismo hiperlocal, que realiza cobertura da cidade de Poções e sua microrregião, apontadas pelo Atlas da Notícia (2021) como quase-desertos e desertos de notícia.

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo