CULTURA

Site tenta resgatar história de mulheres que tiveram participação importante nos movimentos de Independência do Brasil

Retrato de Maria Quitéria, por Domenico Failutti (1920)

Maria Felipa de Oliveira, Maria Quitéria e D. Leopoldina foram mulheres importantes no movimento de Independência do Brasil. Mas essas histórias sempre foram colocadas em segundo plano – ou omitidas – nos livros de história. Tentando dar luz a essas mulheres, a Agenda Bonifácio – plataforma digital que reúne programação cultural nacional do bicentenário da Independência do Brasil – apresenta essas histórias.

Lançada em 18 de maio de 2022 pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa de São Paulo, a Agenda Bonifácio, plataforma online inédita para comemorar os duzentos anos da independência brasileira, traz entrevistas, curiosidades e fatos que marcaram o processo de separação com Portugal, além de falar de personagens pouco lembrados no processo histórico dessa época. Na seção “Outros Heróis” é possível saber detalhes, por exemplo, sobre as trajetórias de duas mulheres pioneiras que deixaram legado de resistência e bravura.

Maria Quitéria foi a primeira mulher a entrar nas Forças Armadas Brasileiras, mas para isso teve que se disfarçar de homem e adotar a identidade do cunhado. Como “soldado Medeiros” esteve na luta da Independência da Bahia para expulsar os portugueses, movimento que ocorreu entre 1822 e 1823. A entrada das mulheres nas Forças Armadas só foi autorizada mais de um século mais tarde, na década de 1980.

Maria Felipa de Oliveira, marisqueira baiana descendente de pessoas escravizadas do Sudão, participou do mesmo evento de Independência da Bahia. Em
2018, foi declarada oficialmente Heroína da Pátria Brasileira e teve seu nome inscrito no “Panteão da Pátria e da Liberdade Tancredo Neves”, em Brasília (DF).

Além disso, temos a figura mais conhecida de Maria Leopoldina, a primeira Imperatriz brasileira e nome fundamental no processo de Independência do país. Na ausência do marido D. Pedro I, ela assinou o decreto da Independência, em 1822, que declarava o Brasil separado de Portugal. A psicanalista e escritora Maria Rita Kehl, que traçou um perfil psicológico de D. Maria Leopoldina para o livro “D. Leopoldina – Cartas de uma Imperatriz”, falou sobre ela em entrevista exclusiva para a Agenda Bonifácio.

A participação das mulheres no movimento de independência do Brasil vai ser tema de uma roda de conversa virtual promovida
Fábrica de Cultura. O evento ocorre  07/09/22, às 11h e em 10/09/22, às 15h. Mais informações podem ser acessadas AQUI!

Sobre a Agenda Bonifácio

A Agenda Bonifácio é uma plataforma online de programação cultural e conteúdos ligados ao Bicentenário da Independência do Brasil, criada pelo Governo do Estado de São Paulo por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa e gerida pela Organização Social Amigos da Arte. O nome faz referência a José Bonifácio de Andrada e Silva, um dos personagens mais importantes da Independência, com atuação nos
campos da arte, da ciência e da política.

Plural como quem lhe dá o nome, a plataforma apresenta dados históricos desde 1500, entrevistas, curiosidades, notícias e releituras de fatos marcantes. Viva e colaborativa, a Agenda Bonifácio possibilita a divulgação de eventos em âmbito nacional relacionados ao tema. Para compartilhar informações e divulgar seu evento, basta acessar o formulário ou escrever para contato@agendabonifacio.com.br

>Acompanhe:
Site: https://agendabonifacio.com.br/
Instagram: @agendabonifacio
Facebook: agendabonifacio200
Twitter: @agendabonifacio

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo