Bolsonaro vem a Natal, pilota sem capacete, faz comício ao lado de UPA e ataca PT
Natal, RN 22 de jun 2024

Bolsonaro vem a Natal, pilota sem capacete, faz comício ao lado de UPA e ataca PT

14 de setembro de 2022
4min
Bolsonaro vem a Natal, pilota sem capacete, faz comício ao lado de UPA e ataca PT

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

O presidente Jair Bolsonaro (PL) veio ao Rio Grande do Norte pela quinta vez somente em 2022, nesta quarta-feira (14), para uma agenda de atividades de campanha. Na programação, participou de uma motociata, foi ao Alecrim e em seguida se deslocou novamente, desta vez para o bairro de Cidade da Esperança, na Zona Oeste, onde discursou a cerca de 20 metros de uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), elogiou a esposa e proferiu críticas ao PT.

Durante a motociata da tarde, Bolsonaro dirigiu uma moto sem capacete e conduziu o candidato a senador Rogério Marinho (PL) na garupa, também sem o equipamento de segurança. De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, dirigir sem o capacete é uma infração considerada gravíssima, passível de multa e da suspensão do direito de dirigir.

Já no final da tarde, ao se deslocar para a Cidade da Esperança, encontrou um palco montado no meio da rua para o comício na Avenida Paraíba, a cerca de 20 metros da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro. Segundo a Lei 9504/1997, que é a Lei das Eleições, o funcionamento de alto-falantes ou amplificadores de som é permitido entre as 8h e 22h. A instalação e utilização, entretanto, é vedada a menos de duzentos metros de hospitais e outros locais, como escolas, bibliotecas e igrejas em funcionamento. 

A agência Saiba Mais procurou o Tribunal Regional Eleitoral (TRE/RN) para saber se havia licença para o comício naquele local. O órgão informou que para esse tipo de evento não é necessário licença prévia e nem de comunicação ao TRE, e que a Polícia Militar seria a responsável. Já a PM disse que realizou “apenas o Policiamento para garantir a segurança e paz do evento”. Procuramos também o Corpo de Bombeiros para consultar uma possível licença, mas não tivemos retorno até o fechamento da matéria. 

Ao lado do presidente no palco estavam seus candidatos e aliados. Falaram no microfone o prefeito de Natal, Álvaro Dias (PSDB), o governadorável Fábio Dantas (SD) e o candidato a senador Rogério Marinho (PL). Bolsonaro foi o último a discursar e fechou a noite. Segundo a falar, Fábio Dantas agradeceu e disse um “muito obrigado” ao presidente “por ter me acolhido nesse palanque”. Há meses, Dantas já era o nome da oposição para enfrentar Fátima Bezerra (PT) no Estado, mas evitava se associar ao presidente. Na última vez em que Bolsonaro esteve na capital, em julho, alegou estar com Covid-19. Fábio já foi vice-governador de Robinson Faria (PL). No discurso, prometeu superar o PT no Estado. “Vamos tirar de vez o PT do Rio Grande do Norte! Fora PT!”, bradou. Atualmente, Fábio aparece em terceiro lugar nas pesquisas, atrás de Fátima e Styvenson Valentim (PODE).

Rogério Marinho também iniciou centrando críticas nos adversários e se colocando como um defensor da democracia. Comentando sobre as “duas posições” nas eleições, disse que “um lado defende o cerceamento da liberdade, a supressão da crítica, o controle das mídias sociais, a censura dos jornais e, do outro lado, a liberdade plena de um país convicto de que nós temos um destino representado pelo presidente Bolsonaro”. Adotou ainda outro discurso presente nas manifestações bolsonaristas: contra a “destruição da família” e uma suposta “ideologia de gênero”. 

Bolsonaro, ao longo dos seus 17 minutos de fala, focou novamente na polarização e no discurso contrário ao PT, dizendo que a poucos dias teremos uma “encruzilhada”. Às bases conservadoras, repetiu o discurso de que haveria uma “ideologia de gênero”. “Cada um tem a sua família, um grande patrimônio dentro de casa que são seus filhos. Nós não queremos ideologia de gênero nas escolas”.

Num aceno às mulheres, Bolsonaro falou dos assentamentos rurais e disse que as maiores beneficiárias de terra em seu governo teriam sido as mulheres. A primeira-dama Michelle Bolsonaro tem se juntado aos seus compromissos e sua presença é vista pelo staff da campanha como uma forma de diminuir a resistência da parcela feminina da população ao presidente. 

“Nenhum de nós pode ser bem sucedido se não tiver ao nosso lado uma grande mulher. E eu tenho dito pro homem que está solteiro, que está cansado de ser feliz, quero dar uma dica para ele: procure uma princesa, case-se com ela para você ser mais feliz ainda”, acrescentou.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.