Assistente social da APAE Mossoró diz ter sido demitida após ler nota de pesar enviada por Fátima Bezerra
Natal, RN 1 de mar 2024

Assistente social da APAE Mossoró diz ter sido demitida após ler nota de pesar enviada por Fátima Bezerra

25 de outubro de 2022
3min
Assistente social da APAE Mossoró diz ter sido demitida após ler nota de pesar enviada por Fátima Bezerra

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

A assistente social Dávida Oliveira, funcionária da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Mossoró, publicou um vídeo nas redes sociais em que afirma que foi demitida da instituição por motivos políticos. O motivo seria a leitura de uma nota de pesar escrita pela governadora Fátima Bezerra (PT) durante a missa de sétimo dia de uma assistida que faleceu.

A garota, apelidada de “Sandrinha”, faleceu na segunda-feira (17), e teve a missa de sétimo dia realizada em uma igreja de Mossoró neste domingo (23). “Ela era atendida pela instituição há 28 anos e participava de forma assídua, sempre muito presente. E a gente cria muitos vínculos com os assistidos, com as famílias”, afirma Oliveira, em conversa com a reportagem.

Na missa, a assistente diz que foi como uma amiga pessoal da família e que, como os familiares estavam enlutados, a missão de ler o texto ficou com Dávida. “Eles não tinham condição de ler e me pediram para ler. Eu disse que sim, não teria nenhum problema em relação a isso”.

No final da noite, segundo a funcionária, ela recebeu uma mensagem do presidente da APAE Mossoró, Abraão Dutra. “No domingo, mais de 21h, o senhor presidente mandou uma mensagem perguntando quem tinha recebido a mensagem da senhora Governadora, que ele não tinha tomado conhecimento”, lembra. 

“Eu respondi a ele que quem recebeu a mensagem foi a família, e que a família não necessitaria pedir consentimento ou autorização para receber uma mensagem que foi direcionada como algo pessoal. E que eu havia lido porque fui solicitada como amiga para fazer essa leitura”, conta.

O conteúdo da carta, afirma, não tinha conotação política. “Era se solidarizando com a situação, falando o quanto Sandrinha era uma pessoa cativante, amável, e que a admirava Sandrinha”.

No vídeo gravado por Dávida, ela narra como teria ocorrido a demissão: “o presidente veio no corredor me gritando, solicitando a chave da minha sala e pedindo para eu retirar minhas coisas imediatamente.”

“Quando a gente exerce um trabalho de muito amor, muita responsabilidade, a gente recebe amor e carinho das pessoas também”, disse a assistente social à reportagem, sob lágrimas. “Eu me doava e me doo dentro da causa, porque eu tenho um filho autista. Então a gente se reconhece na luta das pessoas e na dor do outro.”

Procurado, o presidente da APAE Mossoró, Abraão Dutra, negou que a demissão da funcionária tenha acontecido pela leitura da carta de Fátima Bezerra. Segundo Dutra, a APAE terá eleições para a próxima diretoria em novembro e Dávida Oliveira já teria se colocado como candidata à presidência. O estatuto, segundo o presidente, não permite que uma funcionária seja candidata e, por isso, ela teria que ser demitida.

Por outro lado, Abraão disse que a assistente social “já vinha com uma postura que eu não concordava como presidente”, que “não tem nada a ver com essa leitura [da nota de pesar]”. A atitude, de acordo com ele, seria “principalmente misturando política com a instituição”. 

“O estatuto das APAES não permite que se misture política com a instituição. Ela é uma instituição não-governamental, apolítica”, afirmou.

Confira o vídeo gravado pela assistente social:

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.