Festa da Batata valoriza cultura indígena e agricultura familiar na Aldeia Katu, em Goianinha-RN
Natal, RN 24 de jun 2024

Festa da Batata valoriza cultura indígena e agricultura familiar na Aldeia Katu, em Goianinha-RN

31 de outubro de 2022
3min
Festa da Batata valoriza cultura indígena e agricultura familiar na Aldeia Katu, em Goianinha-RN

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

O evento indígena mais antigo do Rio Grande do Norte, a Festa da Batata, realizada na Aldeia Katu, município de Goianinha, terá a 20ª edição nesta terça-feira, 1º de novembro. A data remete ao Dia de todos os santos, comemorado pelos potiguaras convertidos ao cristianismo, mas que também representa uma oportunidade para culto livre das crenças dos povos originários.

“A festa começou em meados da década de 1970 pelo indígena Chico Neném, um ancião que comemorava junto com a aldeia o dia de todos os santos, com procissão. Mesmo com a opressão do catolicismo, o dia de todos os santos permitia que os indígenas e negros comemorassem a sua fé ‘livremente’. Os indígenas tinham como um dia para fazer o seu toré sagrado, mesmo sendo dentro das missões”, explica o cacique Luiz Katu, lembrando que na época foi construída a capela de São João Batista na aldeia.

Além da prática religiosa promovida por Chico Neném, havia partilha de comida, fruto da agricultura familiar entre os parentes. “O leilão era a partir de coisas doadas, cachos de banana, beiju, tapioca. E convidava também grupos, como boi de reis, coco de roda, zambê, pra se apresentar à noite”.

De acordo com Luiz Katu, a festa ficou adormecida após o falecimento do criador e foi retomada na década de 1990 pelo filho dele, João Neném, que também já faleceu. A esposa Consuelo e o irmão Abílio também promoveram edições.

Agora, novas lideranças como Luiz Katu está revitalizando a festa com o objetivo também de promover a cultura do povo potiguara, com ênfase na agricultura familiar.

“Sentei com vários parentes, professores da aldeia, e a gente resolveu colocar o nome de Festa da Batata, por ser o que mais se cultiva na aldeia, fortalecendo a agricultura familiar a nossa cultura. E deu muito certo”, conta Katu, sobre o evento que foi reconstituído com novo nome em 2002 fortalecendo e ressignificando a cultura indígena no Rio Grande do Norte.

Programação

8h: Maratona na aldeia 5Km
Inscrições: (84) 99964-4874

9h às 11h: Trilha “Caminhos da Resistência” de 5 KM, banho de rio, pintura corporal com urucum, imersão no espaço de ocas Água fria.
Reservas: (84) 99964-4874

9h às 17h: Exposição e venda de artesanato e comidas típicas feitas com batata

10h às 11h: palestra com cacique Luiz Katu

11h às 12h: Bate-papo com convidados
Tema: Etnodesenvolvimento para os povos indígenas

12h: Almoço no espçao indígena Potiguara Katu

14h: Competições
Tiro com arco, jogo de castanha, jogo de peteca

19h: Concurso “A maior batata doce da aldeia” e concurso de culinária com pratos feitos a partir de batata

20h: Leilão

21h: Música ao vivo

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.