Natal tem pior desempenho do RN na vacinação contra a pólio
Natal, RN 13 de abr 2024

Natal tem pior desempenho do RN na vacinação contra a pólio

25 de outubro de 2022
3min
Natal tem pior desempenho do RN na vacinação contra a pólio

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Com apenas 37,62% das crianças menores de cinco anos vacinadas contra a poliomielite, Natal tem hoje o pior desempenho do estado na campanha pela erradicação da paralisia infantil. Dados da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) também apontam que a cobertura vacinal do RN está em 63%, aquém da meta preconizada pelo Ministério da Saúde, que é de 95%. A baixa procura acende o alerta para o risco de reintrodução de um vírus já erradicado no país.

A uma semana do encerramento da campanha, que foi prorrogada até o dia 31, a Sesap reforça o apelo para que pais e responsáveis levem as crianças para vacinar. “Temos apenas 48 municípios que bateram a meta. Esse é um chamado para a manutenção da erradiação da Poliomielite que é uma doença tão grave e não pode voltar para nosso território", disse Kelly Lima, coordenadora de Vigilância em Saúde do Estado.

Severiano Melo (165.41%), Água Nova (134.57%) e José da Penha (127.21%) superaram a meta e estão no topo do ranking potiguar. Já Pedro Velho (51.55%), São Gonçalo do Amarante (49.65%) e Natal (37.62%) são os municípios com pior desempenho. Para reverter o quadro, a capital adotou estratégias de busca ativa, realizada por agentes comunitários de saúde com apoio de vacinadores.

Segundo dados do RN+Vacina, até o momento, 118.731 crianças potiguares foram vacinadas. A meta é 176.463 e os municípios têm até a próxima segunda (31) para alcançar a meta da campanha e vacinar as crianças de seis meses a menores de cinco anos de idade.

Entenda o esquema de vacinação contra a pólio

O esquema vacinal prevê a aplicação de três doses para que a cobertura seja considerada completa, o que a Sesap e o Ministério da Saúde chamam de vacina VIP.  Nessa primeira fase, a 1ª dose deve ser aplicada aos 2 meses de vida; a 2ª dose, aos 4 meses; e a 3ª, aos 6 meses. Todas injetáveis.

Apenas depois desse primeiro ciclo, são aplicadas as doses de reforço (VOP), sendo a 1ª entre os 15 e 18 meses e a 2ª entre os 4 e 5 anos, ambas podendo ser por meio oral.

  • 1ª dose: aos 2 meses de vida com a VIP – injetável ;
  • 2ª dose: aos 4 meses de vida com a VIP – injetável;
  • 3ª dose: aos 6 meses de vida com a VIP – injetável;
  • 1º reforço: entre os 15 e 18 meses, que pode ser por meio da vacina oral (VOP);
  • 2º reforço: entre os 4 e 5 anos, que pode ser por meio da vacina oral (VOP).
Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.