Padre afastado pela Arquidiocese de Natal por suposto abuso sexual de adolescente será ouvido pela Polícia Civil na próxima semana
Natal, RN 20 de jun 2024

Padre afastado pela Arquidiocese de Natal por suposto abuso sexual de adolescente será ouvido pela Polícia Civil na próxima semana

20 de outubro de 2022
2min
Padre afastado pela Arquidiocese de Natal por suposto abuso sexual de adolescente será ouvido pela Polícia Civil na próxima semana

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

O padre Iranildo Augusto de Assis, que atuava na cidade de São Gonçalo do Amarante, na região metropolitana da capital, mas que foi afastado pela Arquidiocese de Natal depois de denúncia de uma família de que ele teria abusado sexualmente de um adolescente, será ouvido pela Polícia Civil na próxima semana.

Na última terça (18), o arcebispo metropolitano de Natal, Dom Jaime Vieira Rocha, determinou o afastamento do padre de suas funções e a abertura de uma investigação prévia. No dia anterior, na segunda (17), a mãe do adolescente de 14 anos que teria sofrido o abuso na igreja no último domingo (16) registrou um Boletim de Ocorrência na delegacia de São Gonçalo.

O caso teria ocorrido na Paróquia de Santo Expedito. Segundo a mãe do jovem, no último domingo, o padre Iranildo Augusto de Assis teria abraçado, chupado a orelha e beijado o pescoço de seu filho, empurrando-o contra a parede, no momento em que o menino estava bebendo água. Ao se desvencilhar do padre e sair da igreja, o garoto ligou pra mãe pedindo que ela fosse-o buscar imediatamente. À mãe, o menino também teria revelado que o padre havia enviado mensagens perguntando se ele gostava de homem ou de mulher.

O adolescente teria conhecido o padre há cerca de três meses, quando foi convidado a participar de atividades religiosas junto com amigos. A mãe também contou que o filho era levado para lanches e recebia R$ 200 do padre para fazer a retirada dos dízimos e ofertas.

Nesta quarta (19), outro jovem que também relatou casos de assédio cometido pelo mesmo padre, mas de maneira mais leve, prestou depoimento à polícia. Um terceiro jovem que também teria sido vítima de assédio do padre foi convidado a depor amanhã (20). A estimativa do delegado do caso, Rafael Câmara, é que o inquérito seja concluído no prazo de uma semana.

Delegado do caso, Rafael Câmara, fala sobre depoimentos:

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.