MPT recolhe provas e investiga Prefeitura de Natal por assédio eleitoral; foram 10 denúncias ao todo
Natal, RN 25 de jun 2024

MPT recolhe provas e investiga Prefeitura de Natal por assédio eleitoral; foram 10 denúncias ao todo

11 de novembro de 2022
3min
MPT recolhe provas e investiga Prefeitura de Natal por assédio eleitoral; foram 10 denúncias ao todo

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

O Ministério Público do Trabalho (MPT) solicitou nesta semana as provas que apontam um suposto crime de assédio eleitoral cometido pela Prefeitura de Natal, através do prefeito Álvaro Dias (PSDB). O processo surgiu após uma reportagem produzida pela Agência SAIBA MAIS, que revelou um encontro organizado por Dias com empresários da capital em que discutiram estratégias para incutir o voto em Bolsonaro entre seus funcionários durante o segundo turno das eleições.

Ao todo, dez denúncias foram feitas no MPT sobre este caso, sendo uma pelo vereador de Natal, Robério Paulino (PSOL), e outra pela deputada federal Natália Bonavides (PT). Como as denúncias se referem ao mesmo caso, elas foram juntadas em um mesmo processo contra a Prefeitura. Na quarta (9), o Ministério encaminhou notificações ao vereador e à deputada em que deu um prazo de 72 horas para que as provas fossem apresentadas, o que foi cumprido. 

O MPT confirmou a intimação e disse que se trata de um procedimento normal no início de uma investigação. Agora, o órgão vai ouvir as partes e coletar as provas.

Os documentos expostos são imagens que mostram o prefeito de Natal, além de outras figuras do aparato da Prefeitura, como o secretário de Turismo, Fernando Fernandes, e a secretária-adjunta da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb), Alessandra Marinho. Posteriormente, a equipe jurídica do vereador encaminhará também o áudio da reunião, com as falas do prefeito e dos empresários.

Para o advogado Nilo Ferreira, que representa Paulino, as provas são contundentes. “São indícios fortes. Se o Ministério Público vai entender como assédio eleitoral, aí é com eles. Mas ao meu ver, é uma mensagem subliminar que ele [Álvaro Dias] está atrás de coagir, ou [incentivando] quem tiver força ou influência que haja”, afirmou.

A denúncia contra a Prefeitura também chegou ao Ministério Público Eleitoral (MPE), que encaminhou o caso ao Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN).

Entenda

Em 20 de outubro, prefeito e empresários se reuniram em um hotel de luxo de Natal para demonstrar apoio à reeleição do presidente Jair Bolsonaro (PL). Em diversas falas, os empresários sugeriram modos de tentar convencer seus funcionários a votar no candidato, apesar dos riscos de exposição na mídia e de serem acusados de assédio eleitoral, como relataram. Álvaro Dias não participou da reunião completa. Saiu alegando um compromisso no interior do Estado. Entretanto, foi o organizador do evento.

Saiba mais

Em reunião organizada por prefeito de Natal, empresários sugerem burlar lei e assediar funcionários a votar em Bolsonaro

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.