CULTURA

Estátua de Iemanjá recebe câmera de segurança e passa a ser monitorada pelo Ciosp

Após repetidos atos de vandalismo e depredação, a estátua de Iemanjá, localizada na Praia do Meio, em Natal, recebeu uma câmera de segurança na última sexta-feira (11) e será monitorada por operadores da Guarda Municipal que atendem no Centro Integrado de Operadores de Segurança Pública (Ciosp).

O último atentado contra o monumento aconteceu no Carnaval deste ano, quando a Imagem apareceu com tinta preta cobrindo a pele. Na ocasião, representantes das religiões de matriz africana acusaram o vandalismo e cobraram da Prefeitura segurança para preservação da estátua, importante símbolo para povos tradicionais de terreiros.

“Considerando o tamanho da nossa luta em preservar as histórias dos mais velhos, aqueles vieram antes, na luta contra a intolerância religiosa – e foram quem lutaram e conquistaram não só a estátua, mas o local de culto ao nosso sagrado -, pintar Iemanjá de preto é um insulto e um desrespeito aos umbandistas desta cidade”, declarou a coordenação colegiada do Grupo de Articulação de Matriz Africana e Ameríndia do Rio Grande do Norte (Gama/RN), Iyalaxé Flaviana D’ Oxum.

Após o episódio, a estátua foi restaurada e devolvida à população no dia 14 de abril. Na restauração, o escultor Emanuel Câmara removeu a tinta, recuperou as linhas originais da escultura e realizou uma nova pintura. A Imagem havia sido inaugurada no dia 2 de fevereiro de 2020, quando substituiu uma outra, mais antiga, que também foi alvo de ações de vandalismo e intolerância religiosa.

Membro do Grupo de Articulação de Matriz Africana e Ameríndia do RN, José Pedro de Santos Neto, conhecido como Pedrinho de Ogum, comentou que o fato demonstra como as pessoas fazem a ligação direta dos símbolos dessas religiões aos negros, e de forma racista. “Se a gente quisesse que aquela representação fosse negra, ela seria negra e não preta”, disse, lembrando que diversas entidades foram convidadas a discutir como seria a nova estátua.

A estátua tem 3,5 metros de altura e pesa 4 toneladas, sendo a maior escultura de Iemanjá já confeccionada no Rio Grande do Norte. Considerada a rainha dos mares e dos oceanos, Iemanjá é uma divindade das religiões de matriz africana, como o candomblé e a umbanda, mas pessoas de diferentes crenças a cultuam.

O monitoramento será realizado 24 horas por dia, durante todos os dias da semana, e contará com um fluxograma de atendimento de ocorrências por meio de viaturas da Guarda Municipal de Natal e da Polícia Militar.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo