Natália Bonavides participa de painel com Marina Silva e Sonia Guajajara na COP27, no Egito
Natal, RN 18 de jun 2024

Natália Bonavides participa de painel com Marina Silva e Sonia Guajajara na COP27, no Egito

11 de novembro de 2022
5min
Natália Bonavides participa de painel com Marina Silva e Sonia Guajajara na COP27, no Egito

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Mais uma presença potiguar confirmada na 27ª Convenção das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP27), em Sharm El-Sheikh, no Egito. A convite do Instituto Alziras, a deputada federal Natália Bonavides (PT) irá compor a Delegação de Autoridades Políticas Brasileiras. Além dela, a governadora Fátima Bezerra (PT) e o senador Jean Paul Prates (PT) também estarão na COP27.

Natália irá participar do painel “Atuação Parlamentar em Perdas e Danos - Perspectivas do GlobalSul”, na sexta-feira (18), às 6h30 (horário de Brasília). Na ocasião, será discutido o papel de lideranças do legislativo na agenda climática, tanto em relação a proposições legislativas, quanto à fiscalização do Poder Executivo.

A gente sabe que existem muitos interesses em debate e é muito importante que ocupemos esses espaços, levando nossa perspectiva como deputada nordestina e brasileira. Ao mesmo tempo, quero conhecer mais sobre como estão as políticas internacionais e poder trocar experiências e alinhar ainda mais nossas lutas com essas pautas”, disse a parlamentar.

Natália e Sonia Guajajara | Foto: Cedida

A deputada potiguar dividirá o painel com outros nomes do Legislativo federal. A ex-ministra de Meio Ambiente e deputada federal eleita Marina Silva (REDE/SP), a deputada federal Áurea Carolina (PSOL/MG) e a recém-eleita Sonia Guajajara (PSOL/SP) também estarão no painel, realizado pelo Instituto Alziras em parceria com o Instituto Clima de Eleição e da Fundação Konrad Adenauer.

O Congresso Nacional é composto por segmentos das mais diversas matizes. A bancada ruralista, por exemplo, representa o agronegócio e está sempre votando projetos de leis para derrubar as proteções ambientais e impedir o efetivo combate do trabalho escravo. Então, a partir do próximo governo e da organização popular, teremos que derrotar as forças reacionárias para garantir os projetos tão necessários e alinhados também as pautas ambientais”, explicou Natália.

Protagonismo do Brasil na COP27

As conferências do clima são consideradas as iniciativas mais importantes sobre ação climática no mundo e reúnem, anualmente, representantes de diversos países para negociações de acordos visando à redução das emissões de gases do efeito estufa na atmosfera. E nesse aspecto, por toda sua biodiversidade, o Brasil tem protagonismo. 

Mas o governo Bolsonaro anda na contramão para destruir o meio ambiente de todas as maneiras que consegue. Ele vai entrar pra história sendo o que mais liberou agrotóxicos; que aproveitou a pandemia pra “passar a boiada” nas regras ambientais e promover o genocídio dos povos indígenas; o governo do recorde de queimadas; da total negligência e desamparo ao assassinato do indigenista Bruno Pereira e do jornalista Dom Phillips”, criticou a deputada Natália.

Em parceria com diversas organizações, o Instituto Alziras está elaborando uma programação especial para fortalecer a presença de mulheres políticas latinoamericanas na COP27. A programação prevê, entre outras atividades, a participação em painéis e reuniões bilaterais sobre a agenda de mudanças climáticas e transição energética justa.

O presidente Lula está comprometido em combater as mudanças climáticas, o garimpo em território indígena, o desmatamento na Amazônia e em outros biomas. A nossa expectativa é de que nossos povos e nossa biodiversidade possam voltar a respirar. Constituirá, de maneira inédita, o Ministério dos Povos Indígenas. Teremos novamente um presidente ciente do papel do Brasil na agenda global”, destacou Natália.

Meio ambiente deve orientar política externa do governo Lula

Presidente Lula | Foto: Reprodução

O presidente Lula (PT), eleito para o terceiro mandato, pretende restaurar as relações internacionais do Brasil com foco no meio ambiente. Ele viaja na próxima terça-feira (15) ao Egito, para participar da COP27. Lula foi convidado pela Organização das Nações Unidas (ONU) e pelo presidente do Egito, Abdul Khalil El-Sisi.

Em entrevistas recentes, Lula adiantou que pretende reeditar a política externa de seus dois primeiros mandatos, posicionando o Brasil como mediador de conflitos internacionais. Nessa questão, porém, deve enfrentar dois grandes desafios: a guerra na Ucrânia e o acirramento da disputa comercial entre EUA e China. 

Em território nacional, terá de equilibrar a agenda ambiental com as demandas do agronegócio brasileiro.

 "O país andou para trás. As coisas retrocederam numa dimensão impossível da gente imaginar. A questão ambiental tem que ser vista como um modelo de desenvolvimento do país. Precisamos transformar isso em política de Estado”, disse em evento para debater propostas voltadas ao meio ambiental, na capital paulista.

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.