CIDADANIA

RN é o segundo estado do Nordeste com menor número de mamógrafos em uso

Foto: Grupo Reviver câncer de mama, mamógrafo

Com 86 mamógrafos em utilização, o Rio Grande do Norte é o segundo estado do Nordeste com o menor número de equipamentos, que são utilizados no diagnóstico do câncer de mama.  O dado está presente no relatório trienal do Instituto Nacional do Câncer (INCA), divulgado nesta quarta (23). O Ceará é o estado com o maior número de mamógrafos e Sergipe o que possui a menor quantidade: Ceará (412), Bahia (400), Pernambuco (204), Paraíba (143), Maranhão (134), Alagoas (92), Piauí (88), Rio Grande do Norte (86) e Sergipe (57).

O RN também está entre os últimos quanto ao número de estabelecimentos com o equipamento. Ao todo, são 51 mamógrafos, o que coloca o estado, mais uma vez, à frente apenas do estado de Sergipe (30) e atrás da Bahia (217), Pernambuco (124), Ceará (96), Paraíba (93), Maranhão (55), Alagoas e Piauí (52).

Porém, de acordo com a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), apesar do menor número de mamógrafos no comparativo com outros estados nordestinos, o Rio Grande do Norte é o estado com melhor desempenho no tempo médio entre recebimento do diagnóstico e início do tratamento do câncer de mama: 120 dias. O dado está no Panorama da Atenção ao Câncer de Mama no Sistema Único de Saúde, realizado pelo Instituto Avon e Observatório de Oncologia.

Entre 2019 e 2021 houve uma queda no número de mamografias realizadas no público feminino com finalidade diagnóstica pelo SUS. Os exames caíram de 2.788 em 2019 para 2.022 (-35%) no ano seguinte, quando teve início a pandemia da covid-19 e vários serviços como exames e cirurgias foram adiados em todo o país, e para 2.701 (-8%) em 2021, quando o número de exames realizados voltou a crescer.

De acordo com o mesmo relatório do Inca, depois do câncer de pele não melanoma, os tumores malignos mais frequentes são diagnosticados no câncer de mama (10,5%), próstata (10,2%), cólon e reto (6,5%), pulmão (4,6%) e estômago (3,1%).

Os mamógrafos são adquiridos tanto pelo governo federal, quanto pela própria Sesap e pelos municípios. Além da Sesap, a Agência Saiba Mais também procurou a Secretaria Municipal de Saúde da capital para saber qual era a situação em Natal, mas nossas mensagens e ligações não foram atendidas.

Nº de estabelecimentos com mamógrafo do Sistema Único de Saúde (SUS), segundo tipo (comando simples, estereotaxia e computadorizado):

 

EstadoMamógrafo com comando simplesMamógrafo com estereotaxiaMamógrafo computadorizadoTOTAL
Alagoas3351452
Bahia1274050217
Ceará62142096
Maranhão2872055
Paraíba6162693
Pernambuco791233124
Piauí358952
Rio Grande do Norte2851851
Sergipe1451130

NÚMERO DE MAMÓGRAFOS:

Alagoas

Existentes: 96

Em uso: 92

Bahia

Existentes: 415

Em uso: 400

Ceará

Existentes: 420

Em uso: 412

Maranhão

Existentes: 140

Em uso: 134

Paraíba

Existentes: 153

Em uso: 143

Pernambuco

Existentes: 212

Em uso: 204

Piauí

Existentes: 89

Em uso: 88

Rio Grande do Norte

Existentes: 90

Em uso: 86

Sergipe

Existentes: 59

Em uso: 57

Mamografias com finalidade diagnóstica realizadas no SUS, na população feminina em todas as faixas etárias:

2016: 1.440

2017: 1.729

2018: 1.543

2019: 2.788

2020: 2.022

2021: 2.701

Número de mamografias de rastreamento em mulheres de 50 a 69 anos pelo SUS:

2016: 37.614

2017: 32.516

2018: 29.935

2019: 34.140

2020: 21.922

2021: 31.086

Número de mamografias de rastreamento realizadas em mulheres no SUS, por faixa etária:

35 a 39 anos: 350

40 a 49 anos: 17.298

50 a 69 anos: 31.086

+ de 70 anos: 2.867

Total: 52.001

Número de mamografias com finalidade diagnóstica realizadas em mulheres no SUS:

< 30: 43

30 a 39: 159

40 a 49: 588

50 a 59: 997

60 a 69: 552

> 70: 362

Total: 2.701

Sinais de alerta:

câncer de mama I Fonte: governo federal
Fonte: governo federal
Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo