DEMOCRACIA

Jornalista potiguar flagra primeiros acampados em Brasília para a posse de Lula: “vai subir a rampa nem que a gente carregue nas costas”

Por Rafael Duarte, com informações de Ana Paula Cadengue

“Estamos aqui para garantir que Lula vai subir a rampa, nem que a gente carregue ele nas costas”. É com esse espírito, disposto a tudo, que o paraense Robson Messias deixou Belém e, após 1.956 quilômetros, chegou a Brasília com uma semana de antecedência para a posse que marca o 3º mandato do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva.

Ele viajou de carro e, para se manter na cidade e voltar para casa, está vendendo castanha do Pará. Essa será a 5ª posse presidencial que Robson vai assistir ao vivo da Esplanada dos Ministérios. Ele também esteve em 2003, 2007, 2011 e 2015, quando Lula e Dilma Rousseff subiram a rampa do Palácio do Planalto duas vezes, cada.

Assim que Robson estacionou o carro encontrou Jorge Antônio, metalúrgico paulista que também decidiu antecipar a chegada a capital federal para não perder lugar. Ele veio de carona e esteve na primeira posse de Lula, em 2003.

Os dois, que não se conheciam até sábado, foram flagrados pela jornalista potiguar Ana Paula Cadengue, que voltou a Brasília após 30 anos para visitar dois irmãos e também vai ficar para a cerimônia mais aguardada dos últimos quatro anos. Ela, o marido Túlio Ratto e o filho João encontraram Robson e Jorge Antônio debaixo de uma chuva fina tentando ajeitar o melhor lugar para ficar, no estacionamento da Esplanada.

Centenas de caravanas de todo o país devem desembarcar em Brasília nos próximos dias. A expectativa da organização da posse é de que mais de 300 mil pessoas acompanhem a cerimônia na capital.

Robson Messias viajou quase 2 mil quilômetros para participar da 5ª posse / foto: Ana Paula Cadengue

Com um banner relembrando em fotos as quatro posses de que participou, Robson fincou uma faixa no local fazendo referência ao fato de ter sido o primeiro a chegar para a festa. E se mostrou ansioso para a quinta vez:

– Não é loucura, é uma questão de humanidade, confiança, perseverança. Porque o companheiro Lula representa muito para milhões de brasileiros, muitos deles que não tem aonde dormir, não tem o que comer, e muitos vivem o preconceito do dia-a-a-dia. (Preconceito) de quem tem mais, e quer mais. A gente confia no presidente Lula. A história das cinco posses… vamos repetir aqui, garantir a subida dele na rampa, nem que a gente carregue ele nas costas. Agora é Lula, agora é esperança”.

Robson Messias, paraense

Robson Messias mandou fazer a faixa para mostrar que foi o primeiro a chegar para a posse / foto: Ana Paula Cadengue

Jorge Antônio também está confiante e à espera de colegas dos sindicatos do ABC paulista, que chegarão em caravana um pouco antes da cerimônia. Ele aproveitou a ponte com a jornalista potiguar para convocar os nordestinos para “descer” para a Brasília no próximo final de semana:

 

– Vim de São Paulo e nós do sindicato do ABC Paulista vamos nos unir, estão vindo várias caravanas para que isso aqui vire um rio vermelho como foi em 2003, quando também vim para a posse, uma coisa linda. E aproveito para convidar o pessoal da Paraíba, do Rio Grande do Norte, que tem uma governadora petista… que venham sem medo de ser feliz. A democracia sobreviveu aos ataques nesses quatro anos, às fake news… estou aqui de carona para mostrar que sou brasileiro e que acredito nesse país”.

Jorge Antônio, paulista

Segurança reforçada para a posse

A jornalista Ana Paula Cadengue com o marido Túlio Ratto e o filho João: festa em família para o 3º mandato de Lula

Segundo a jornalista Ana Paula Cadengue, faltando uma semana para a posse de Lula, a Esplanada dos Ministério e ruas adjacentes já tem grande policiamento.

– O policiamento está grande, a praça dos 3 poderes e os palácios estão cercados. Há pouquíssimos bolsonaristas, só vi um acampado. A polícia do Distrito Federal diz que dia 1° liberam a área”, contou.

A segurança do presidente Lula está sendo tratada como prioridade. No sábado, a Polícia Militar do Distrito Federal interceptou uma bomba e prendeu um suspeito, com quem foi encontrado seis explosivos. A perícia, segundo o delegado responsável pelo caso, confirmou que o explosivo chegou a ser acionado, mas não explodiu. Segundo ele, o suspeito confessou que planejava um atentado contra o presidente Lula no dia da posse.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Previous ArticleNext Article
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"