PCdoB ainda aguarda convite de Fátima a Antenor e quer ocupar espaços na Fapern, Cultura, Planejamento e Trabalho
Natal, RN 22 de abr 2024

PCdoB ainda aguarda convite de Fátima a Antenor e quer ocupar espaços na Fapern, Cultura, Planejamento e Trabalho

27 de dezembro de 2022
5min
PCdoB ainda aguarda convite de Fátima a Antenor e quer ocupar espaços na Fapern, Cultura, Planejamento e Trabalho

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

O PCdoB aguarda a governadora Fátima Bezerra dizer oficialmente ao Partido onde deseja contar com Antenor Roberto no segundo mandato. Atual vice-governador, o comunista foi preterido pelo PT na formação da chapa majoritária que concorreu e venceu o pleito em 2022 em nome de uma aliança mais ampla com o MDB.

Na próxima gestão, o vice será o atual deputado federal Walter Alves.

Antenor é procurador do Estado e ainda não foi convidado a ocupar nenhum cargo no primeiro escalão do segundo Governo Fátima. A governadora já deu várias entrevistas deixando claro que o aliado estará ao lado dela na futura gestão, mas por enquanto não definiu o posto.

Ainda assim, o presidente estadual do PCdoB, Divanilton Pereira, rechaça o que classifica como “insistência” apenas no nome do atual vice-governador. Segundo ele, a sigla se orienta pelo programa e disponibilizou uma série de propostas ao próximo governo baseadas no eixo do desenvolvimento potiguar.

“Nós disponibilizamos essas propostas, tivemos alguns diálogos, porque há uma relativa insistência apenas em discutir Antenor Roberto. Claro que Antenor Roberto é o mais destacado quadro do PCdoB dentro da equipe da governadora Fátima. A governadora tem anunciado em vários eventos que Antenor Roberto terá uma função relevante no governo, mas até o presente momento não teve contorno de diálogo conosco. Então, são apenas intenções públicas”, relata o dirigente, que diz que não houve ainda diálogos mais contundentes sobre a participação do PCdoB na futura gestão.

Fapern, Cultura, Planejamento e Trabalho

Semana passada, Fátima anunciou os primeiros nomes que vão compor o secretariado do segundo mandato, todos auxiliares que já trabalham na gestão. O nome de Antenor não foi divulgado na primeira leva. A expectativa é de que até sexta-feira (30) os demais auxiliares sejam anunciados.

Ainda que não tenha havido convite formal da petista, o PCdoB já definiu internamente quais órgãos são prioritários para o partido, segundo apuração da Agência SAIBA MAIS: as áreas de Ciência & Tecnologia, Cultura, Planejamento e Trabalho. As indicações seguem a mesma lógica federal. Semana passada, Lula anunciou a presidenta nacional do PCdoB Luciana Santos como futura ministra da Ciência e Tecnologia. 

Divanilton Pereira, presidente estadual do PCdoB | Foto: reprodução

O órgão análogo ao MC&T no Rio Grande do Norte é a Fundação de Amparo e Promoção da Ciência, Tecnologia e Inovação (Fapern), um dos alvos do Partido, mas que historicamente é comandada por uma indicação técnica vinculada à UFRN ou à UERN.

Não é nova a estratégia de aproveitar a afinidade partidária em órgãos públicos quando há alinhamento político entre os governos federal e estadual. Nas gestões de Lula e Dilma Roussef, o PCdoB comandou o Ministério dos Esportes com Agnelo Queiroz, Orlando Silva e Aldo Rebelo. Em paralelo, no Rio Grande do Norte, o Partido optou e conseguiu ocupar a secretaria de Estado de Esporte e Lazer no mesmo período. O dirigente do Partido que passou mais tempo no cargo foi Francisco Canindé.

Afinidades

De acordo com Pereira, a afinidade no primeiro escalão federal é importante de ser repetida localmente.

Em todo governo, se você tem um ministério um pouco mais próximo a você, é importante que isso repercuta no Estado, então discutiremos com a governadora sobre isso, onde poderá ter essa repercussão, que pode ser no Trabalho, na Fapern. Essas são partes das nossas discussões”.

Divanilton Pereira, presidente estadual do PCdoB no RN

Além da pasta da Fapern, os comunistas esperam manter espaços na Fundação José Augusto, na subcoordenadoria do Trabalho (Sine) e na coordenadoria da região metropolitana, órgão vinculado à Seplan, apurou a reportagem. Divanilton, porém, lança algumas hipóteses.

“As nossas participações se orientam pelo programa. Você pode ter, falando por hipótese, uma Secretaria de Desenvolvimento, [onde] nós temos quadros qualificados tecnicamente que atuam nessa área de desenvolvimento energético, desenvolvimento petrolífero”, explica o dirigente, ele próprio técnico em petróleo e ex-presidente do Sindicato dos Petroleiros do Rio Grande do Norte.

“Se você for também na questão ambiental, [o partido] dialoga com a Semarh (Secretaria do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos), dialoga com o Igarn (Instituto de Gestão das Águas do Estado do Rio Grande do Norte)”, diz Pereira. 

Para o presidente do PCdoB-RN, pastas esvaziadas no governo Bolsonaro devem mudar de patamar quando Lula assumir a presidência.

“Não há um instrumento público estatal que não tenha sofrido um desmonte estrutural, por isso que o novo governo Lula tem uma assertiva: é união e reconstrução. Não é uma tarefa simples. Precisamos reconstruir as bases que foram fragilizadas na estrutura pública estatal”, assegura. 

“O Bolsonaro tentou neocolonizar o Brasil de forma humilhante às orientações dos Estados Unidos. Vamos reconstruir isso e tenho certeza que teremos a unidade necessária para a grande tarefa da reconstrução nacional”, deseja o dirigente.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.