Três hospitais da UFRN não têm aprovação dos Bombeiros contra incêndio
Natal, RN 18 de jun 2024

Três hospitais da UFRN não têm aprovação dos Bombeiros contra incêndio

9 de dezembro de 2022
3min
Três hospitais da UFRN não têm aprovação dos Bombeiros contra incêndio

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Três hospitais da UFRN que fazem parte da rede EBSERH (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares), empresa criada para gerenciar os hospitais das universidades federais e vinculada ao Ministério da Educação, não têm aprovação dos bombeiros contra incêndio. É o caso da Maternidade Escola Januário Cicco, em Natal; do Hospital Universitário Ana Bezerra, em Santa Cruz; e do Hospital Universitário Onofre Lopes, também localizado na capital potiguar.

O levantamento, realizado pela GloboNews em todo o país, apontou que 32 dos 41 hospitais administrados pela rede no Brasil estão nessa situação de irregularidade. Porém, esse número pode ser ainda maior já que sete unidades não prestaram informações.

As unidades que integram a rede EBSERH funcionam como centros de referência para média e alta complexidade no Sistema Único de Saúde (SUS). De acordo com a instituição, há uma dificuldade em conseguir os laudos porque as unidades de saúde funcionam em prédios antigos e tombados, mas têm sido realizados avanços na proteção a incêndio em suas unidades.

Em novembro de 2020, durante um incêndio na UTI Neonatal da Maternidade Escola Januário Cicco, um bebê que era prematuro morreu durante a transferência do local. Na época, a unidade estava com os 26 leitos disponíveis ocupados, sendo 11 localizados na área atingida.

Por meio de nota, a direção da Maternidade Escola Januário Cicco (MEJC) informou à Agência Saiba Mais que as medidas de segurança são realizadas rotineiramente, sendo revisados todos os procedimentos de instalação elétrica e dos equipamentos, como também a fiscalização e manutenção preventiva, além de capacitações sobre prevenção à incêndio, principalmente, nas áreas assistenciais.

Ainda de acordo com a Januário Cicco, o projeto de combate a incêndio foi reestruturado e está em fase de aprovação junto ao Corpo de Bombeiros. A instituição funciona em um prédio antigo, da década de 50, que não tinha sido projetado para atender aos requisitos de segurança atuais. A direção da Maternidade afirmou, também, estar sempre em contato com o Corpo de Bombeiros e que não tem medido esforços e feito adequações visando atender os requisitos.

A direção do HUOL, também por meio de nota, afirmou que: conforme outras construções antigas, parte do complexo de prédios do Huol foi concebido em tempos distantes das tecnologias de segurança atual, de forma que hoje até mesmo adequações são inviáveis, tanto pelas características do imóvel quanto pela necessidade de conservação histórica.

Para atenuar o problema, o Huol rotineiramente atualiza seus procedimentos de manutenção, revisa instalações elétricas e promove medidas as preventivas indicadas pelo Corpo de Bombeiros. Inclusive, os projetos de combate à incêndio da instituição são recentes e modernos, além de grande contingente de colaboradores ter capacitação como brigadistas! Novas adequações estão em constante estudo pela governança do hospital.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.