DEMOCRACIA

Governo deve entregar 10 institutos de educação e investir mais R$ 48 milhões na saúde em 2023

O Governo do Rio Grande do Norte deve encerrar 2023 com 10 campi do Instituto Educacional do Rio Grande do Norte (IERN) prontas e obras em pelo menos mais 10 unidades de saúde, sob investimento de cerca de R$ 48 milhões. As informações são do secretário de Infraestrutura (SIN), Gustavo Coelho. 

O projeto dos IERN foi lançado em 2021 e prevê ainda mais dois campi, em Mossoró e São José de Mipibu. Os prédios que devem concluir esse ano são os de Natal, Touros, Tangará, Santana do Matos, Jardim de Piranhas, Campo Grande, Umarizal, Alexandria, São Miguel e Areia Branca.

“É uma obra que a governadora Fátima vem tratando com prioridade muito destacada, porque se trata de um modelo de educação diferenciado. São obras que já estão bem adiantadas e vamos finalizar”, afirmou Coelho. 

Além disso, segundo o secretário, há previsão de reforma em 60 escolas e manutenção em outras 100. 

“Nós temos projetos, temos algumas já em licitação, outras caminhando para licitar, então teremos realmente um grande investimento na área da educação no que diz respeito à infraestrutura das escolas”, apontou.

Na saúde, as licitações para reformas devem sair na semana que vem.

“Nós temos obras em pelo menos 10 unidades. Essas obras a governadora deve lançar a partir da próxima semana um conjunto de licitações para fazer reformas e ampliações nessas 10 unidades de saúde. São obras importantíssimas que vão ter reflexo também na saúde do Estado”, disse. 

Entre os locais beneficiados, estão o Hospital Tarcísio Maia em Mossoró; João Machado e Walfredo Gurgel em Natal; Mariano Coelho em Currais Novos; Hospital Regional do Seridó em Caicó, dentre outros.

Segundo o titular da SIN, o investimento será de cerca de R$ 48 milhões, sendo parte deles oriundos de emendas parlamentares.

“A maior delas, inclusive, de quando a governadora era senadora, e foram disponibilizados em 2021. Em 2022 passamos o ano todo elaborando projetos e agora chegou a hora de publicação dos editais”, lembrou Coelho.

O Hospital da Grande Natal, uma das três prioridades anunciadas por Fátima para esta gestão, está no radar, mas ainda deve aguardar para sair do papel.

“A governadora vem anunciando, mas a gente vai precisar ainda fazer uma agenda sobre isso, até porque se trata de uma grande construção. Acabamos de finalizar uma que foi o Hospital Regional da Mulher em Mossoró. Estamos fazendo pequenos ajustes lá, fazendo instalação de equipamentos, enquanto o Estado também organiza o pessoal. É um hospital que foi totalmente financiado pelo Governo do Estado através do Projeto Governo Cidadão, que tem do lençol ao mais sofisticado equipamento, tudo relativo à cirurgia, à internação, UTI, UTI Neonatal”, afirmou.

Outras obras para este ano

Para 2023, de acordo com o secretário, é aguardada também a reforma e ampliação do Hospital Nelson Inácio dos Santos, em Assú. A inauguração deve ser ainda neste mês. Nas estradas, outra novidade, como a restauração da RN-233.

“É uma rodovia que liga a BR-304 na altura de Assú e vai até Triunfo Potiguar na BR-226. Ou seja, é uma rodovia que foi alargada, que foi melhorada toda a sua base, toda a sua estrutura. A gente está ligando as duas principais rodovias federais do Estado, conectando também o Médio Oeste com o Alto Oeste”, aponta. A inauguração deve ser também em janeiro.

Na cidade de Senador Elói de Souza, a construção da Escola Vicente Lemos encerra a lista de projetos de 46 obras do Governo Cidadão.

BR-304

Fátima tem reiterado que suas três prioridades para este mandato são a construção de um novo hospital de traumas em Natal, a duplicação da BR-304 e a ampliação dos canais de água no interior. Segundo o secretário de infraestrutura, os estudos já estão sendo feitos para a BR.

“A BR-304 se trata de uma obra federal, e desde que a governadora assumiu, nós apresentamos uma pauta ao então ministro Tarcísio de Freitas. O número um da pauta, além de diversas outras, era a duplicação da BR-304. Ela agora vem falando com muita insistência. Ontem (12) mesmo, na posse dos secretários, foi uma obra que ela citou como absolutamente necessária para acontecer e que ela vai insistir com o governo federal”, comentou Coelho.

“Nós temos conhecimento que o governo federal encaminhou, por meio do BNDES, um Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA), o qual nós acompanhamos mesmo sem ser convidados, porque o governo federal [gestão Bolsonaro] realmente não deixava o governo estadual participar. Mas nós cuidamos de buscar essas informações. A informação que temos é que existe o estudo, que o estudo aponta como muito importante essa obra e como tal, apesar de ser uma obra federal, o governo do estado vai sim acompanhar de muito perto a execução”, afirmou.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo