TRANSPARÊNCIA

Polícia Federal faz buscas em laboratório da UFRN em operação que investiga desvio de dinheiro do Ministério da Saúde

PF faz buscas no Lais I Foto: Polícia Federal

Na manhã desta quinta (19), a Polícia Federal, juntamente com o Ministério Público Federal (MPF) e a Controladoria-Geral da União (CGU) deu início à Operação Faraó e cumpriu 21 mandados judiciais de busca e apreensão em Natal/RN, São Paulo/SP, Balneário Camboriú/SC e Brasília/DF, relacionados a possível desvio de recursos públicos.

A Operação, batizada de Faraó, está relacionada ao projeto “SÍFILIS, NÃO!”, que foi coordenado pelo Lais (Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde), que faz parte da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). De acordo com a investigação, em 2017, o Ministério da Saúde transferiu para a UFRN, aproximadamente, R$ 165 milhões para a prevenção e combate à doença sífilis no Brasil. A Universidade contratou a Fundação Norte-Rio-Grandense de Pesquisa e Cultura (FUNPEC), com dispensa de licitação, para executar dez metas do projeto.

Porém, segundo a investigação, na meta relacionada às ações de publicidade e propaganda, envolvendo recursos da ordem de R$ 50 milhões, foram verificados indícios da prática de delitos, como: fraude à licitação, falsidade ideológica, peculato e lavagem de dinheiro, havendo atuação direta de inúmeras empresas do segmento publicitário, além de possível envolvimento de servidores públicos.

Operação Faraó I Foto: Polícia Federal
Operação Faraó I Foto: Polícia Federal

Saiba +

Laboratório de Inovação em Saúde da UFRN nega irregularidade em serviços; instituição foi alvo de operação da PF

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo