TRANSPARÊNCIA

Prefeito de Ceará-Mirim rebate denúncia de mau uso de dinheiro público e diz que recebe da União menos do que gasta com Saúde

Por Mirella Lopes e Isabela Santos

Acusado de fazer mau uso dos recursos públicos, o prefeito de Ceará-Mirim, Júlio Cesar Soares Câmara (PSD), disse que recebe da União menos do que gasta na Saúde e precisa complementar a folha dos servidores com recursos próprios do Município. Esclarece ainda trâmite e destinação de verba de buffet, que teve valor usado em denúncia.

O gestor acredita que a representação junto ao Ministério Público Federal (MPF) foi feita por “um ativista político de oposição”.

SAIBA MAIS: Prefeitura de Ceará-Mirim é acusada de fechar postos de saúde e gastar mais de meio milhão com banda de forró e Coffee Break

Buffet

A denúncia anônima aponta que a Prefeitura fechou postos de saúde, mas usou mais de meio milhão de reais com a contratação de uma banda de forró por R$ 300 mil e com um serviço de coffee break no valor de R$ 458.852,00.

“Não foi gasto um centavo do meio milhão que foi autorizado para o pagamento do buffett. A Prefeitura só paga se utilizar. De toda forma, é o dinheiro para ser gasto em 1 ano, podendo ser renovado por mais um, pelas Secretarias do Município”, explicou Júlio Cesar, apontando que o empenho do recurso é necessário para eventos, como a feira de artesanato e a jornada pedagógica, em que cerca de 600 professores fazem treinamento de dois dias fazendo treinamentos e precisam das refeições.

O prefeito detalhou ainda que cada Secretaria tem direito de gastar até R$ 19.565, o que dá R$ 815,21 por mês no período de dois anos. “Não é muito, ao contrário do que a denúncia quer fazer entender”, avaliou.

Saúde

O denunciante apontou que a Prefeitura recebeu mais de 24 milhões de reais em 2022 para a Saúde e mais R$ 1,6 milhão neste mês de janeiro de 2023 do Fundo Nacional de Saúde.

“O dinheiro para a saúde é carimbado e, portanto, não pode ser usado em outras áreas. Por isso, não foi usado para pagar show de forró”, alertou Júlio César. “A título de esclarecimento, é importante lembrar que, só a folha de pagamento dos servidores da saúde bruta chega próximo a 3,2 milhões de reais mês perfazendo um valor de aproximadamente 41,6 milhões ano, valor bem maior que o repassado pelo Fundo Nacional de Saúde (24 milhões)”, pontuou.

“O restante são investimentos com recursos próprios. São 56 médicos que juntos recebem bruto cerca de 1 milhão de reais por mês e ainda vem todos os demais profissionais de saúde. No ano passado, foram investidos 26,5% em Saúde. Um recorde na história. A lei determina que a administração municipal invista o mínimo de 15%. No entanto, a Prefeitura de Ceará-Mirim investiu 26,5%, quase o dobro do que a lei diz para ser feito.”

De acordo com o prefeito do PSD, o equilíbrio das contas só é possível porque sua gestão tem “responsabilidade e trabalho” e destaca ações: abertura do centro cirúrgico do Hospital Dr. Percilio Alves, 7 novas unidades de Saúde e a oferta de serviços de urgência para municípios da região.

Segundo ele, o Município de Ceará-Mirim custeia cirurgias eletivas, exames e médicos especialistas e conta com 21 equipes de saúde família e mais de 30 unidades de saúde.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo