Sobe para 10 número de potiguares presos acusados de participarem de atos terroristas em Brasília
Natal, RN 25 de jun 2024

Sobe para 10 número de potiguares presos acusados de participarem de atos terroristas em Brasília

27 de janeiro de 2023
2min
Sobe para 10 número de potiguares presos acusados de participarem de atos terroristas em Brasília

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Após atualização da Secretaria de Administração Penitenciária do Distrito Federal (Seape-DF), subiu para 10 o número de potiguares presos após participação no ato fracassado de golpismo em Brasília, em 8 de janeiro. Antes, a informação fornecida pela Seape é de que seriam nove nascidos no RN.

O 10º preso é José Augusto da Silva, de 57 anos. Na segunda (23), a agência Saiba Mais já havia revelado a identidade dos outros custodiados. Mas, naquela lista, a origem de Silva aparecia como sendo no Distrito Federal. Na nova lista da secretaria divulgada na quarta (25), José Augusto já aparece identificado como nascido no RN.

SAIBA MAIS: Potiguar preso no ato terrorista em Brasília postou vídeos dentro da Academia da PF
SAIBA MAIS: Potiguar presa por ato golpista em Brasília recebeu R$ 28 mil de auxílios do governo

O potiguar está preso desde o início das operações. Ele consta como tendo sido apreendido entre os dias 8 e 11 de janeiro. Atualmente, segue no Complexo Penitenciário da Papuda e se soma aos quatro potiguares que já estavam no centro de detenção. Já outras cinco pessoas estão em liberdade, sendo monitoradas por tornozeleira eletrônica.

Lesa-Pátria

Nesta sexta (27), a Polícia Federal (PF) iniciou a terceira fase da Operação Lesa-Pátria, contra envolvidos nos atos golpistas do último dia 8. Foram cumpridos 11 mandados de prisão preventiva e 27 mandados de busca e apreensão em cinco estados e no DF.

Um dos alvos dos mandados de busca e apreensão é Leonardo Rodrigues de Jesus, o Léo Índio, sobrinho do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). 

Uma das presas nesta fase foi a catarinense Maria de Fátima Mendonça Jacinto Souza, a “Fátima de Tubarão” Ela foi gravada em um vídeo depredando os prédios públicos e afirmou que estava “quebrando tudo”. Antes, a idosa já tinha sido presa por tráfico.

De acordo com a Polícia Federal, os fatos investigados podem configurar crimes como abolição violenta do Estado Democrático de Direito; golpe de Estado; associação criminosa; incitação ao crime, e destruição e deterioração ou inutilização de bem especialmente protegido.

SAIBA MAIS: Veja os nomes dos nove potiguares presos no ato terrorista de Brasília

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.