Amantes de Fatoka: o bloco que promete saudade, alegria e uma dedada no cu da tristeza  
Natal, RN 23 de jun 2024

Amantes de Fatoka: o bloco que promete saudade, alegria e uma dedada no cu da tristeza  

14 de fevereiro de 2023
3min
Amantes de Fatoka: o bloco que promete saudade, alegria e uma dedada no cu da tristeza   

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Quebrou a cara quem achou que haveria um carnaval sem Fatoka. Em 3 de abril de 2022, Maria de Fátima Xavier, 69, decidiu sair de cena sem avisar ou se despedir dos amigos de copo e dos amantes de boemia. Mas só de sacanagem eles resolveram ressuscitá-la. Para que Fatoka nunca mais volte para casa e permaneça por ali, bebendo, sorrindo e gozando a vida e da cara dos outros.

Nesta terça-feira (14), antes que os clarins oficiais anunciem o começo do carnaval, os Amantes de Fatoka se reúne no Bardallos, a partir das 19h, para um reencontro. O show e a alegria ficam por conta de Dodora Cardoso. A entrada é gratuita.

Quando o coração de Fatoka parou, nasceu logo a ideia de um bloco de carnaval.

Idealizado pelo ator e professor Rodrigo Bico, que além de amante era uma espécie de santo protetor de quase todos os porres da homenageada, o bloco é uma ode à memoria de uma das personagens mais marcantes do Centro Histórico de Natal:

 - Fatoka não queria que as pessoas sofressem com a partida dela e, por isso, nem velório teve. Então, não houve despedida. O bloco é uma homenagem para que Fatoka continue viva no carnaval e, especialmente, na região onde ela frequentava, conta.

Além dos bares do Beco da Lama e adjacências, Fatoka era habituê da Confeitaria Atheneu e região. Olinda e Recife eram quase uma extensão da casa dela.

No 1º ano, ate por uma questão financeira, o Amantes de Fatoka será no melhor estilo concentra, mas não sai. Bico ainda conseguiu arrecadar com amigos e amantes a grana do show. Para os próximos anos, além da orquestra de frevo a ideia é criar um estandarte e uma boneca gigante de Fatoka, que não media 1 metro e meio de altura.

 - Nem tão gigante assim, ne? diz rindo.

Fatoka fez história e marcou a cidade de Natal. Quem a conheceu ou teve o privilégio de conviver com ela, sabe que o carnaval era um estado de espirito permanente. Nem as pedras no caminho – e foram muitas - fizeram Fatoka segurar o riso na saideira.

Esse seria o primeiro carnaval sem Maria de Fatima Xavier.

Mentira.

Hoje é dia de comer Fatoka.

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.