MPRN investiga esquema de “fura-fila” na Secretaria de Saúde de Natal; 1 servidor foi preso e 3 estão proibidos de exercer função
Natal, RN 21 de mai 2024

MPRN investiga esquema de “fura-fila” na Secretaria de Saúde de Natal; 1 servidor foi preso e 3 estão proibidos de exercer função

8 de fevereiro de 2023
3min
MPRN investiga esquema de “fura-fila” na Secretaria de Saúde de Natal; 1 servidor foi preso e 3 estão proibidos de exercer função

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

A investigação de um esquema de “fura-fila” em troca de vantagens financeiras dentro da rede pública de saúde de Natal resultou na prisão de um servidor da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), além do afastamento de outros três, que estão proibidos de exercer suas funções no trabalho por determinação judicial. A Operação, batizada de “Bom Samaritano”, foi deflagrada na manhã desta quarta (8) pelo Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN).

A suspeita é de que o grupo recebia vantagem financeira indevida em troca da marcação de consultas e procedimentos médicos no Sistema Nacional de Regulação (Sisreg). O MPRN também analisa se os funcionários faziam as marcações mediante pedidos de políticos municipais ou estaduais.

Pelo que já foi apurado, muitos dos beneficiados sequer eram moradores da capital potiguar. As fraudes teriam ocorrido, principalmente, na Unidade Integrada de Saúde da Cidade da Esperança (Policlínica Oeste).

Uma das pessoas investigadas “vendia” consultas, exames e até cirurgias do SUS. Um outro investigado costumava oferecer serviços de “assessoria” aos municípios do interior do Estado. Ele recebia pedidos dos secretários de Saúde ou servidores ligados aos municípios do interior e enviava as solicitações aos seus contatos em Natal, para que realizassem as marcações, em alguns casos, ele mesmo fazia as marcações usando as senhas desses servidores que “cediam” o código mediante o pagamento de valores mensais.

Um terceiro suspeito, de acordo com o apurado pelo MPRN, é bastante ativo nas redes sociais, realizando constantes publicações de cunho político-partidário. Ele se candidatou ao cargo de vereador, nas eleições de 2020, mas não foi eleito. Esse servidor, tem diversos vínculos públicos com instituições políticas locais.

Os mandados de prisão e de busca e apreensão foram cumpridos nas casas dos investigados, em Natal e em Parnamirim. O servidor preso será encaminhado ao sistema carcerário e o material apreendido será analisado pelo MPRN para tentar identificar o envolvimento de outras pessoas no esquema fraudulento investigado.

Ao todo, durante a Operação, foram cumpridos um mandado de prisão preventiva e outros quatro, de busca e apreensão. Quatro promotores de Justiça, 13 servidores do MPRN e 24 policiais militares participaram da ação.

A investigação do MPRN vai continuar na tentativa de identificar outros servidores da SMS de Natal e de municípios do interior, além de agentes políticos, que tenham participado do esquema criminoso.

A inserção de informações falsas em banco de dados é crime cuja pena prevista é de dois a 12 anos de reclusão e multa. Os investigadores também analisam se houve o crime de associação criminosa, que tem pena prevista de 1 a 3 anos de reclusão.

Saiba+

O Sisreg é um sistema online disponibilizado pelo Datasus para gerenciamento e operação das centrais de regulação. O software funciona por meio de navegadores instalados em computadores conectados à internet e é composto de três módulos: Ambulatorial (marcação de consultas e exames especializados), Internação Hospitalar e Autorização de Procedimentos de Alta Complexidade/Custo (APAC).

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.