Petrobrás fica no RN e transferência de trabalhadores será suspensa, diz Jean Paul Prates
Natal, RN 21 de mai 2024

Petrobrás fica no RN e transferência de trabalhadores será suspensa, diz Jean Paul Prates

3 de fevereiro de 2023
4min
Petrobrás fica no RN e transferência de trabalhadores será suspensa, diz Jean Paul Prates

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Ao lado da governadora Fátima Bezerra (PT), o presidente da Petrobrás, Jean Paul Prates, anunciou nesta sexta-feira (3) que a estatal permanecerá no Rio Grande do Norte e que suspendeu as transferências de funcionários para outros estados.

O plano de desinvestimentos, aprovado em 2015, se aprofundou nos últimos anos, com venda de ativos da Bacia Potiguar, retirada de contingente de trabalhadores do RN e venda de sedes administrativas. 

“Estão suspensas aquelas transferências que estavam programadas e engatilhadas automaticamente à venda dos ativos, porque são pessoas que têm sua vida no Rio Grande do Norte, e eu mais do que ninguém sei como é bom vir morar no Rio Grande do Norte e ficar aqui. Não quero que ninguém seja expulso, despejado do Rio Grande do Norte porque vendeu o ativo”, falou o ex-senador. 

Na reunião, o presidente do órgão também anunciou a criação de uma diretoria de energias renováveis, a ser estabelecida na sede de Natal. À tarde, Jean Paul participou de um encontro com a diretoria do Sindipetro em que deu mais alguns detalhes. O petroleiro Pedro Lúcio Góis foi um dos participantes.

“Em outras palavras, com esse anúncio, independente da venda ou não, a Petrobrás vai continuar aqui na sede de Natal, não vai mais embora do Rio Grande do Norte e, mais do que continuar, ela vai voltar a investir no nosso estado, o que vai gerar emprego, renda, novas oportunidades de concursos públicos e empregos dentro da Petrobrás e até em terceirizados dentro desse segmento de energias renováveis”, explicou Góis.

Até então, a estatal vinha acelerando os passos do processo de privatização e saída de funcionários dos campos do estado. Em 31 de janeiro, o Sindicato dos Petroleiros do RN (Sindipetro) recebeu a informação de novas alocações envolvendo pessoal em atividade no Polo Potiguar. Em novembro de 2022, a Petrobrás havia iniciado consultas para a venda da sede administrativa da capital, enquanto a de Mossoró já tinha sido vendida. 

“Outra coisa que ele anunciou também é que estão sendo revistos os contratos de privatização, de forma genérica. Claro, é nova equipe, nova gestão, novas perspectivas, então vai revisar os contratos de privatização dos campos da Petrobrás, refinarias e plataformas, etc”, disse o sindicalista.

Para o diretor do Sindipetro, as sinalizações de mudança representam uma “virada de chave”.

“A gente tinha, nos últimos seis anos, perdas atrás de perdas, desemprego atrás de desemprego, queda na produção de petróleo e gás no estado. Agora nós temos finalmente a quebra desse ciclo com uma notícia boa que é a retomada dos investimentos da Petrobras, e mais num segmento tão nobre quanto das energias renováveis que é, sem sombra de dúvida alguma, o futuro das energias no planeta”, sentenciou.

A reportagem procurou Jean Paul Prates, mas o presidente não pode falar porque está em período de silêncio. Da mesma forma, segundo Pedro Lúcio Góis, o dirigente não pôde entrar em outros assuntos, como na reversão ou não da venda dos campos que estão em processo de privatização. O período de silêncio se encerra quando for realizada a nova assembleia dos acionistas, que se reunirá até abril.

Saiba mais

Com omissão de gestores públicos e representantes políticos, Petrobrás retira novo contingente de trabalhadores do RN

Petroleiros fazem entrega de cartilha pela permanência da Petrobrás no RN em cerimônia de posse do secretariado estadual

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.