Chuvas na Grande Natal abrem crateras na Av. Felizardo Moura e em Nova Parnamirim
Natal, RN 25 de jun 2024

Chuvas na Grande Natal abrem crateras na Av. Felizardo Moura e em Nova Parnamirim

27 de março de 2023
5min
Chuvas na Grande Natal abrem crateras na Av. Felizardo Moura e em Nova Parnamirim

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

A Região Metropolitana de Natal registrou fortes chuvas neste final de semana. Na zona Sul da capital, por exemplo, os pluviômetros da Defesa Civil Municipal registraram quase 100 mm de chuva em Ponta Negra entre as 10h do domingo (26) e desta segunda (27). Do outro lado da cidade, parte da pista da Av. Felizardo Moura também cedeu. Já em Nova Parnamirim, uma cratera se abriu e quase “engoliu” uma casa.

O desabamento na Felizardo Moura aconteceu ainda no domingo, no sentido Centro/zona Norte. Na manhã desta segunda, equipes da Prefeitura foram acionadas para fazer os serviços de recuperação e proteção do trecho. No local foi feita a limpeza, retirada da lama, entulho e lixo. Na sequência, os operários estão trabalhando no reforço da estrutura do muro de contenção. 

A Companhia de Águas e Esgotos (Caern) também enviou uma equipe para fazer reparos na tubulação que corta a região.  De acordo com a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seinfra), a expectativa é que o tráfego seja normalizado nesta terça-feira (28).

O tráfego no local no sentido zona Norte/Centro está acontecendo normalmente, segundo a Prefeitura, com a liberação da circulação dos transportes públicos e dos veículos cadastrados pela Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU). 

No sentido contrário, houve uma interrupção parcial em virtude dos danos, mas agentes de mobilidade estão fazendo a operação “Pare e Siga” no local, permitindo a passagem dos veículos do sistema de transporte público.

Além da Felizardo Moura, também surgiu uma cratera no bairro de Capim Macio, na rua jornalista Alex Gurgel, onde a Prefeitura já estava fazendo o serviço de recuperação e o buraco aumentou de tamanho com as chuvas. A Seinfra enviou uma equipe ao local para recuperar a via.

Mesmo com o forte volume de precipitação, a coordenação da Defesa Civil não registrou nenhum incidente. De acordo com Fernanda Jucá, diretora do órgão, houve apenas um chamado no bairro de Cidade Nova, com um alagamento da Travessa Solange Nunes, porém sem nenhum dano nas residências da área ou registro de desabrigados.

Em Natal, segundo os pluviômetros da Defesa Civil Municipal, os bairros mais afetados foram Ponta Negra (98 mm), Guarapes I (88 mm), Lagoa Nova (77 mm), Guarapes II (73,6 MM), Pajuçara (65 mm), Cidade Alta (43,4 mm) e Nossa Senhora da Apresentação (11,2 mm).

Já em Nova Parnamirim, uma cratera se abriu na Comunidade Toca da Raposa. De acordo com a Prefeitura de Parnamirim, equipes da Secretaria Municipal de Obras Públicas (Semop) estão no local aterrando a cratera que foi aberta pela força das águas.

Moradores da Toca da Raposa colocaram lonas para evitar deslizamentos | Foto: reprodução

O serviço é emergencial e a empresa responsável pela obra de drenagem, que está em execução no local, já foi acionada para dar andamento aos serviços.

Procurada, a Defesa Civil de Parnamirim informou que, até o momento, não consta nenhuma pessoa desalojada ou desabrigada.

O pluviômetro da Emparn acompanhou o município durante 18 horas entre o domingo e a segunda, quando foram registrados 52,6 milímetros de chuvas.

Falésias de Parnamirim podem desmoronar a qualquer momento, diz Defesa Civil

Para esta terça (28), a previsão da Emparn para Natal é de céu parcialmente nublado com chuva, que não deve passar de 30 mm. Em Parnamirim, o céu estará de parcialmente nublado a claro. Em ambas as cidades, a nebulosidade estará entre 40% e 95%.

As falésias e encostas das praias que banham a cidade de Parnamirim estão em situação de alto risco de desmoronamento. Foi o que constatou uma das equipes da Defesa Civil do município em vistoria realizada no último sábado (25). De acordo com o órgão, em alguns trechos os paredões podem cair a qualquer momento.

Em Cotovelo, as rachaduras são tão proeminentes que é possível ver por entre as fendas, às vezes de um ou até mesmo dois centímetros. Já na região conhecida como "prainha", com circulação de pescadores e banhistas, muitas encostas já desabaram nos últimos 15 dias, mesmo com a sustentação de raízes de grandes árvores. Troncos também já caíram devido ao próprio peso da copa das árvores.

Segundo a Prefeitura, há plantas ocas, com espaço livre entre raízes e o terreno e visíveis a olho nu. A Prefeitura também alerta que não é difícil encontrar pessoas perto destas áreas. Durante o sábado (25), agentes da Defesa Civil de Parnamirim abordaram banhistas, pessoas que caminhavam na orla e turistas para evitar acidentes.

A orientação dada pela Prefeitura é que na orla - área mais baixa-, as pessoas não busquem abrigo do sol próximo de encostas e falésias. Na parte superior dos paredões, não devem se aproximar demais da borda em busca de fotos ou da vista. De acordo com a Prefeitura, uma distância segura deve ser mantida, entre 10 a 15 metros da borda.

“A área está toda sinalizada com placas e com uma equipe de plantão praticamente o dia todo, tudo para evitar que acidentes aconteçam no local. Situações como essa infelizmente já ocorreram no Rio Grande do Norte e, como não se sabe a hora nem o local onde vão voltar a acontecer, todo cuidado é pouco e a prevenção é sempre a melhor escolha”, pontua a Prefeitura.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.