Mais nove chefes de facções são transferidos para penitenciárias federais neste sábado (18)
Natal, RN 24 de abr 2024

Mais nove chefes de facções são transferidos para penitenciárias federais neste sábado (18)

18 de março de 2023
2min
Mais nove chefes de facções são transferidos para penitenciárias federais neste sábado (18)

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Acusados de estarem entre os responsáveis por ordenar a série de atos violentos a municípios potiguares, nove chefes de facções criminosas foram transferidos para penitenciárias federais na madrugada deste sábado (18). A ação, que aconteceu na madrugada deste sábado (18), atende pedido do Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN). Com isso, já são 10 chefes de facções recambiados desde o início dos ataques.

Segundo o MPRN, os nomes dos presos transferidos e os locais para onde foram levados não serão divulgados neste momento por motivos de segurança.

Gabinete de crise

Em portaria publicada na edição desta sexta-feira (17) do Diário Oficial do Estado (DOE), o MPRN instituiu um gabinete de crise para estabelecer medidas estratégicas e integradas a serem adotadas durante o período de ataques orquestrados pela criminalidade organizada às instituições públicas e privadas em todo o Estado.

Entre as atribuições deste gabinete está a elaboração de um Plano de Gerenciamento de Crise e a cooperação com órgãos de inteligência municipais, estaduais e federais.

De acordo o MPRN, a criação do gabinete de crise levou em consideração os ataques criminosos ao patrimônio público e privado em diversos municípios do Estado e a necessidade de proteger a integridade da população.

“O MPRN considera imprescindível a implementação de ações articuladas e harmônicas entre o Ministério Público e os demais envolvidos no sistema de segurança pública e a necessidade de combater eventos críticos de caráter estadual ou simultâneos que impactam de forma direta no cotidiano da sociedade e na rotina das forças de segurança pública”, afirma comunicado do MPRN.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.