Morro do Careca será “digitalizado” para investigação de processo de erosão
Natal, RN 19 de jun 2024

Morro do Careca será “digitalizado” para investigação de processo de erosão

9 de março de 2023
3min
Morro do Careca será “digitalizado” para investigação de processo de erosão

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Na busca de identificar o que está provocando o processo de erosão do Morro do Careca, na Praia de Ponta Negra, em Natal (RN), técnicos da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb) vão elaborar uma espécie de maquete digital com dados colhidos durante as vistorias de monitoramento.

No último sábado (4), foi realizada a segunda vistoria ao Morro pela Semurb e Defesa Civil, com apoio da Companhia Independente de Proteção Ambiental (CIPAM) da Polícia Militar. Dessa vez, foi feito o monitoramento aéreo, com uso de drone, da face costeira do Morro do Careca e áreas próximas.

A nova vistoria ocorreu desde a parte do Morro que fica em contato com a praia e foi até o limite da área militar. Uma primeira visita de monitoramento ao Morro do Careca já havia sido realizada no dia 6 de fevereiro, em parceria com a Aeronáutica. Todas as informações colhidas até aqui serão usadas para descrever os eventos erosivos que estão acontecendo na orla da capital potiguar, assim como se há algum dano ambiental e quais as possíveis medidas necessárias para o controle da situação. Por enquanto, a maquete digital ainda está em fase de elaboração.

Constatamos que existem processos não apenas na parte frontal do Morro do Careca, mas também na área lindeira [em contato com a praia]. Agora vamos montar um Modelo Digital do Terreno (MDT), uma espécie de maquete digital feita a partir de ferramentas de geoprocessamento que vai ajudar a calcular e identificar o quanto este processo erosivo em curso. Vamos repetir a vistoria daqui a seis meses”, detalha José Petronilo da Silva Júnior, técnico da Semurb e pós-doutor em Geografia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Praia de Ponta Negra com Morro do Careca ao fundo I Foto: Mirella Lopes
Praia de Ponta Negra com Morro do Careca ao fundo I Foto: Mirella Lopes

Primeiras constatações

Os técnicos da Semurb perceberam que os sedimentos que chegavam na parte de trás do Morro, correspondente à Praia de Alagamar, pararam de preencher o ponto turístico e manter o morro firme. Por outro lado, há um processo lento de fechamento da vegetação, beneficiado pela proibição de subida ao local.

A subida ao Morro do Careca está proibida desde 1997. De acordo com a Semurb, a expectativa é que com a engorda de Ponta Negra os sedimentos passem a chegar na base do morro e a erosão diminua. Com isso, se espera que a vegetação cresça mais, deixando o morro menos careca.

Cartão postal

O cartão postal da capital potiguar é uma duna de 120 metros que faz parte da Zona de Proteção Ambiental 6 (ZPA-6) , localizada na Praia de Ponta Negra, na zona Sul de Natal.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.