RN ultrapassa meta de vacinação para covid-19, mas ainda patina em doses de reforço
Natal, RN 29 de mai 2024

RN ultrapassa meta de vacinação para covid-19, mas ainda patina em doses de reforço

3 de março de 2023
3min
RN ultrapassa meta de vacinação para covid-19, mas ainda patina em doses de reforço

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

O Rio Grande do Norte conseguiu vacinar 95% da população (3.040.999) com a dose única ou com a 1ª dose (D1) da vacina contra covid-19. Mas, esse índice sofre uma pequena queda na aplicação da 2ª dose (D2), quando se considera que o ciclo vacinal está completo, chegando a 88% (2.794.216 pessoas) de cobertura.

Em relação às doses de reforço a cobertura é ainda mais baixa, chegando a 56% (1.796.919 pessoas) no caso do 1º Reforço (D3) e a apenas 26% (831.618) na 2ª Dose de Reforço (D4), segundo os dados disponíveis na plataforma de monitoramento RN+ Vacina.

Desde o dia 27 de fevereiro os municípios do estado estão autorizados a aplicar a dose bivalente para covid-19. O imunizante da Pfizer, autorizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), se diferencia das demais vacinas por conter as cepas mais atuais do novo coronavírus, inclusive, para a variante Ômicron.

No entanto, para receber a bivalente, é preciso ter tomado, pelo menos, as duas primeiras doses ou dose única das vacinas monovalentes. O intervalo mínimo para ser vacinado com a bivalente é de quatro meses após a última dose monovalente recebida.

As pessoas não vacinadas ou que receberam apenas uma dose da vacina, devem iniciar ou completar o esquema das duas doses da vacina para, só então, receber a bivalente. Já as pessoas que completaram o esquema primário ou já receberam uma ou duas doses e reforço, poderão receber a dose de reforço bivalente, respeitando o intervalo de quatro meses da última dose recebida.

Fonte: RN + Vacina

Quem pode receber bivalente?

Nessa primeira etapa, a bivalente está disponível apenas para pessoas com 70 anos ou mais, vivendo em instituições de longa permanência a partir de 12 anos, abrigados e os trabalhadores dessas instituições, imunocomprometidos, comunidades indígenas e quilombolas.

Em seguida, virão as pessoas de 60 a 69 anos de idade. Numa terceira fase, será a vez de gestantes em qualquer idade gestacional e puérperas (até 45 dias após o parto) de 12 anos ou mais. A quarta fase é direcionada a trabalhadores de saúde e a quinta contemplará pessoas com deficiência permanente a partir de 12 anos, população privada de liberdade a partir de 18 anos, adolescentes cumprindo medidas socioeducativas (menores de 18 anos), além dos funcionários do sistema de privação de liberdade.

A ordem de vacinação foi recomendada pelo Ministério da Saúde.

Vacina bivalente I Foto: divulgação Sesap
Vacina bivalente I Foto: divulgação Sesap

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.