Chuvas preocupam e quatro famílias ficam desabrigadas em Mossoró
Natal, RN 26 de mai 2024

Chuvas preocupam e quatro famílias ficam desabrigadas em Mossoró

12 de abril de 2023
3min
Chuvas preocupam e quatro famílias ficam desabrigadas em Mossoró

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Após novo monitoramento realizado nesta terça-feira (11), a Defesa Civil de Mossoró registrou um aumento considerável no nível do Rio Mossoró. Assim, de forma preventiva, quatro famílias foram desalojadas e transferidas para um prédio municipal. 

Os moradores foram abrigados na Escola de Artes de Mossoró, um dos locais viabilizados para acolher os atingidos pelas cheias. O município garante às famílias o alojamento, assistência em saúde e alimentação. 

Na tarde desta terça-feira, caminhões da Prefeitura trabalharam na logística de transporte dos móveis e eletrodomésticos dos afetados. Equipes da Defesa Civil e Assistência Social auxiliaram e prestaram apoio às famílias. 

“Estamos realizando o monitoramento da região ribeirinha diariamente. Em visita técnica nesta terça-feira, observamos uma elevação acentuada do nível do rio. Rapidamente a Prefeitura mobilizou equipes e disponibilizou local seguro e adequado para receber os moradores”, detalhou Alcivan Gama, coordenador da Defesa Civil. 

Além das equipes da Secretaria Municipal de Infraestrutura, Meio Ambiente, Urbanismo e Serviços Urbanos (Seimurb), Defesa Civil e Assistência Social, membros do Tiro de Guerra 07-010 de Mossoró também contribuíram para a rápida transferência dos moradores afetados.

Segundo a Prefeitura, a Defesa Civil local “segue atenta, acompanhando o cenário meteorológico da região Oeste, como também observando a elevação do Rio Apodi-Mossoró.” 

Volume acima do esperado

A Secretaria Municipal de Agricultura e Desenvolvimento Rural (Seadru) divulgou ainda um levantamento sobre as chuvas ocorridas em Mossoró no primeiro trimestre do ano. O boletim mostra aumento de 10,5% do volume esperado para o período.

Segundo a pasta, em janeiro a média histórica é de 64,9 milímetros. Já em 2023, o primeiro mês do ano registrou volume acumulado de 70,3 mm. Em fevereiro, o acumulado de chuvas no município chegou a 96,2 milímetros, enquanto era esperado 86 mm. A maior diferença foi em março, que teve acumulado de 189,5 mm, enquanto a média histórica aponta registro de 171,2 milímetros.

No total, o volume esperado para os três primeiros meses do ano era de 322 milímetros, mas chegou a 356 milímetros.

O monitoramento da Seadru apontou também uma tendência de chuvas acima do normal para abril, maio e junho. Até o último sábado (8), o mês de abril acumulava 140 mm de chuvas. O esperado para o mês é de 168 mm.

Em caso de adversidades naturais, a Prefeitura orienta que a população acione a Defesa Civil por meio do telefone 199. O atendimento funciona 24h e a ligação é gratuita.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.