“É preciso que os professores compreendam que nós chegamos no limite”, diz Secretária de Educação do RN sobre greve por piso
Natal, RN 22 de abr 2024

“É preciso que os professores compreendam que nós chegamos no limite”, diz Secretária de Educação do RN sobre greve por piso

4 de abril de 2023
5min
“É preciso que os professores compreendam que nós chegamos no limite”, diz Secretária de Educação do RN sobre greve por piso

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Em entrevista ao programa Balbúrdia, na manhã desta terça (04), a secretária de Educação do Estado, Socorro Batista, falou sobre a negociação e a greve dos professores da rede estadual de ensino.

A categoria está em greve desde o dia 07 de março, porque não considerou satisfatória as proposta do Governo do Estado para implantação do piso da categoria, que este ano ficou definido em 14,95%. Confira os principais trechos:

Nenhum professor abaixo do piso...

“Em que pese o fato de que nosso governo vai cumprir o piso, nós não podemos fazê-lo de uma única vez, em uma única parcela. Nós já fizemos várias propostas à categoria. A última foi de aplicação de 7.21% no salário e o restante no salário de novembro e dezembro. Temos um percentual de professores, algo em torno de dois mil e poucos, que hoje, considerando o índice de 14,95%, estão abaixo do piso. Nossa proposta inclui no salário de abril fazermos a implementação nesse grupo para que nenhum professor fique abaixo do que estabelece o piso nacional”.

Quadro caótico...

“Existe o direito do professor, que o Estado está garantindo, e existe o direito do aluno, que o Estado precisa garantir, o direito à aprendizagem. A rede pública do Rio Grande do Norte, especialmente a estadual, que é a quem devo me referir, foi muito penalizada nos últimos anos. Todos nós sabemos o quanto a pandemia aprofundou os problemas de um sistema de ensino muito frágil, onde a aprendizagem precisa ser recomposta. Precisamos construir um movimento para garantir o direito da aprendizagem do aluno. Então tivemos a pandemia, depois em 2022 foi um ano de reorganização, de retomada, de muitos problemas emocionais no sistema de ensino, de muitas perdas, dores e chegamos em 2023 com a greve e aquela crise na segurança, que nos obrigou a paralisar as escolas. É um quadro que a sociedade percebe como caótico. Nós analisamos que é um grande desafio para nós, precisamos retomar as aulas desses alunos, desses jovens que, para muitos tem na escola o único espaço de aprendizagem. Muitos desses alunos sequer têm acesso à internet.”, avaliou Socorro Batista.

No limite...

“O que falta é os professores compreenderem isso. O Governo está fazendo a sua parte, não só no que diz respeito a salário, temos muito a apontar em termos de investimento na educação e é preciso que os professores compreendam que nós chegamos no limite. O Governo não tem mais o que apresentar, diante da proposta que já foi feita”.

A atual proposta apresentada pelo Governo do Estado prevê isonomia, ou seja, pagamento igual para ativos e aposentados, e implantação do piso para professores que ganham abaixo do piso a partir de abril e parcelamento do reajuste previsto no novo piso (14,95%) para quem já ganha acima desse valor. O parcelamento seria dividido entre os meses de maio, novembro e dezembro.

Educação não é só salário...

“Educação não é só salário. Desejo, nós temos, vontade, nós temos. Agora, o que a gente recebe hoje do Fundeb, já representa 82% da folha da Educação. Então, ficamos com algo em torno de 17% a 18% para investimento e dependendo muito da fonte 100, que é o Tesouro Estadual. Temos inúmeros compromissos para honrar e melhorar a escola pública do Rio Grande do Norte. Se a gente fizer isso, vai correr um risco muito sério de provocar um estrangulamento das contas. Todo o esforço que foi feito nos últimos quatro anos para recompor essa organização fiscal, administrativa, orçamentária e financeira, corre o risco de ser estrangulado se pagarmos tudo em uma única parcela”.

A categoria mais beneficiada...

“Há um esforço enorme para manter a folha de todos os servidores, há uma organização, mas não há dinheiro sobrando para fazer isso. É importante dizermos que, durante nosso Governo e aplicando o reajuste do piso, e no RN é reajuste mesmo, não é só piso, os professores já tiveram algo em torno de 62% no primeiro mandato da Governadora Fátima Bezerra. Foi a categoria mais beneficiada em termos salarias, em segundo lugar vem a segurança, com algo em torno de 40 e poucos por cento. Isso foi merecidamente! Se me perguntarem, acho que foi pouco, mas foi o que o Governo podia. Aquilo que foi determinado pela política do Fundeb do piso. Não temos como avançar, infelizmente. Somos o único estado a implantar o piso na integralidade e na paridade”.

Para 2023, o Ministério da Educação (Mec) anunciou um reajuste de 14,95%. Com isso, o piso dos professores deve passar de R$ 3.84563 para R$ 4.420,55. A íntegra da entrevista com a Secretária de Educação, Socorro Batista, está disponível na página da Agência Saiba Mais no youtube:

(8) Entrevista com a secretária de Educação do RN, Socorro Batista - YouTube

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.