EXCLUSIVO: Seis lagoas de captação na Zona Sul de Natal apresentam situação crítica e altíssimo risco de transbordamento
Natal, RN 1 de mar 2024

EXCLUSIVO: Seis lagoas de captação na Zona Sul de Natal apresentam situação crítica e altíssimo risco de transbordamento

1 de abril de 2023
5min
EXCLUSIVO: Seis lagoas de captação na Zona Sul de Natal apresentam situação crítica e altíssimo risco de transbordamento

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Das 27 lagoas de captação localizadas na Zona Sul de Natal, pelo menos seis apresentam situação crítica, com altíssimo risco de transbordamento. É o que aponta um laudo realizado pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb), junto com o Departamento de Fiscalização Urbanística e Ambiental e a Supervisão Geral de Fiscalização Ambiental, ao qual a Agência Saiba Mais teve acesso através do ex-deputado estadual Sandro Pimentel (Psol).

Estão classificadas como em risco mais alto as lagoas de captação do Alagamar (Ponta Negra), dos Potiguares (Nova Descoberta), do Loteamento Santanópolis (em construção – no bairro de Candelária), a Lagoa da Salinas/ Integração (Candelária) e a Lagoa do San Vale RD 02 e 06 (Pitimbú).

Nesses casos, além de manutenção e reparos, os técnicos recomendam que seja verificada a situação de funcionamento das bombas de drenagem. São as lagoas de captação que recebem as águas pluviais (chuvas) e evitam inundações na cidade, além de ajudarem na recomposição do lençol freático, de onde é extraída a água para consumo humano.

A vistoria da Semurb foi realizada através de monitoramento aéreo, entre os dias 25 de fevereiro e 21 de março, com o propósito de antecipar os serviços necessários antes da chegada das chuvas. Nesse período, foram vistoriadas 100% das lagoas de captação da Zona Sul e 75% da Zona Oeste.

O trabalho chegou a ser suspenso por causa dos ataques violentos registrados entre 14 e 24 de março no Rio Grande do Norte, já que algumas secretarias do município de Natal, além da Guarda Municipal, precisaram emprestar veículos para a área da segurança pública. Por isso, o relatório trata apenas das lagoas de captação da Zona Sul, que foram vistoriadas em sua totalidade.

As lagoas são classificadas em cinco cores, de acordo com os riscos que apresentam:

VERMELHA: ALTISSIMA (situação crítica. Risco alto de transbordamento com danos ao patrimônio de terceiros);

LARANJA: ALTA (Possibilidade de transbordamento a depender do volume de água precipitada);

AMARELA: MÉDIA (Requer necessidade de limpeza para evitar o transbordamento);

VERDE: BAIXA (Sistema operando dentro da normalidade. Requer apenas limpeza);

AZUL: BAIXISSIMA (Sistema operando dentro da normalidade. Não requer manutenção).

Além das seis lagoas de captação em situação crítica, também foi observado durante as vistorias que outras cinco precisam de atenção da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seinfra) e da Urbana (Companhia responsável pelos serviços de limpeza urbana), visto que pode haver transbordamento, a depender do volume de água e do tempo de duração da chuva. É o caso Lagoa da Avenida Praia de Jenipabu (Ponta Negra), Lagoa Cidade Jardim II (Capim Macio), Lagoa do Makro (Neópolis), Lagoa do Jiqui (Neópolis) e Lagoa do Xavantes (Pitimbú).

Além dessas, mais cinco lagoas estão em situação de alerta médio e precisam de serviços de manutenção, limpeza preventiva e verificação da situação de funcionamento das bombas de drenagem: Lagoa do Marinas RD 03 (Capim Macio), Lagoa do Marinas RD 04 (Capim Macio), Lagoa Petrobrás (Candelária), Lagoa de Pirangi e da Avenida Ayrton Senna (Neópolis) e Lagoa do Preá (Lagoa Nova).

Apenas quatro lagoas de captação não precisam de atenção especial: Lagoa de Capim Macio RD 01 (Capim Macio), Lagoa de Capim Macio RD 02 (Capim Macio), Lagoa de Mirassol (Capim Macio) e Lagoa da Avenida Capitão Mor Gouveia (Lagoa Nova).

Já outras sete, precisam somente de serviços básicos de limpeza e manutenção das árvores que ficam no entorno: Lagoa Vila de Ponta Negra (Ponta Negra), Lagoa do CTG (Ponta Negra), Lagoa Cidade Jardim I (Capim Macio), Lagoa do Natal Shopping (Candelária), Lagoa do Cei (Lagoa Nova), Lagoa do Centro Administrativo I e II (Lagoa Nova).

Esgoto e água servida...

Os técnicos também observaram durante as vistorias que muitas lagoas de captação ainda recebem contribuição de efluentes de esgotos por causa de ligações clandestinas, como no caso da Lagoa dos Potiguares, em Nova Descoberta e do Preá, em Lagoa Nova.

Outro problema é que algumas também recebem águas servidas, como é caso da Lagoa do Makro, em Neópolis e a Lagoa do Centro Administrativo I, em Lagoa Nova.

Depredação...

Ao todo, 60% das lagoas de captação tiveram seus equipamentos violados, sendo 28% por depredação, com corte da cerca ou mesmo retirada das telas que mantém a lagoa isolada, e 32% em resultado do desgaste natural da estrutura.

A urbanização, com instalação de equipamentos de uso coletivo, foi realizada em 70% das lagoas de captação da Zona Sul, mas 30% não possui iluminação adequada, muro ou passeio público, como no caso da Lagoa da Av. Dos Xavantes, no bairro Pitimbú.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.