“Enfrentaremos o PT e vamos derrotá-lo nas urnas”, diz Carlos Eduardo sobre Prefeitura de Natal
Natal, RN 23 de abr 2024

“Enfrentaremos o PT e vamos derrotá-lo nas urnas”, diz Carlos Eduardo sobre Prefeitura de Natal

23 de maio de 2023
“Enfrentaremos o PT e vamos derrotá-lo nas urnas”, diz Carlos Eduardo sobre Prefeitura de Natal

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

O ex-prefeito de Natal, Carlos Eduardo (PSD), está disposto a enfrentar e derrotar o PT na campanha para a Prefeitura da capital em 2024. Foi isso que ele garantiu em entrevista à rádio 98 FM nesta segunda-feira (22), ao comentar a possibilidade de um quinto mandato à frente do Palácio Felipe Camarão.

“Se amanhã eu decidir ser candidato a prefeito e se o PT já tiver candidato e formalizar essa candidatura, enfrentaremos sim o PT. Respeitaremos, mas vamos derrotá-los nas urnas”, apontou. 

“Você entra numa campanha para vencer, sem medo de perder também. Se ano que vem, o partido [PSD] e eu chegarmos à conclusão de que eu posso ser o candidato a prefeito, serei candidato e serei candidato contra o candidato do PT”, continuou.

No ano passado, Carlos, à época filiado ao PDT, formou a chapa de apoio à governadora Fátima Bezerra e foi o candidato a senador do grupo. Tendo ficado em segundo lugar, atrás de Rogério Marinho (PL), ele tenta agora se desvincular dos antigos aliados. O PT tem como pré-candidata à prefeitura a deputada federal Natália Bonavides.

“Eu vou buscar o apoio de todos. Do PT, se um partido da direita quiser me apoiar também aceito o apoio. A direita, a esquerda. Eu como presidente do PSD terei toda a liberdade e independência de fazer as alianças necessárias se for candidato a prefeito”, afirmou Carlos.

Álvaro Dias quis me dar o osso, afirma ex-prefeito

Até o início de 2022, o nome de Carlos Eduardo Alves era ventilado como possível pré-candidato a governador do Rio Grande do Norte em oposição a Fátima. A costura tinha à frente o atual prefeito da capital, Álvaro Dias (Republicanos). Na entrevista, Carlos explicou as tratativas e porquê fechou com o grupo da situação e não com a oposição.

De acordo com o ex-prefeito, em duas oportunidades ele foi convidado para reuniões com Álvaro Dias, em que estariam presentes também o presidente da Assembleia Legislativa, Ezequiel Ferreira (PSDB), e o então ministro do governo Bolsonaro, Rogério Marinho. 

Ao ir aos dois encontros, entretanto, Alves teria encontrado apenas Álvaro, sem a presença de Ferreira e Marinho. Assim, decidiu não seguir as tratativas. 

“Eu saí da conversa e os interlocutores da governadora promoveram um encontro meu. Perguntaram se eu conversaria e aí diante dessa situação aceitei sim a conversa”, diz, sobre o início das tratativas com o governo.

Convidado a ser o candidato ao Senado pelo grupo de Fátima, Carlos teria ouvido que Álvaro Dias já oferecia o nome do seu filho como candidato a vice do PT.

“Eles [grupo de Álvaro] queriam me dar o osso. Eles queriam que eu enfrentasse o governo do Estado, bem avaliado, Fátima bem avaliada, enfrentasse Lula que é Frei Damião no interior. Eles queriam que eu fosse enfrentar essa situação e eles iam ficar com a vaga de senador. Eles me davam o osso e iam ficar com o filé. Eu fiz uma reflexão. No passado eu apoiei Fátima para prefeita de Natal contra Micarla, e a gente perdeu a eleição em Natal. Eu fiz a reflexão que Lula me ajudou quando eu fui prefeito de Natal”, afirmou, ao explicar sua escolha por seguir na aliança governista. 

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.