Após pressão, Prefeitura de Natal desiste de demolir duas escolas em local que será construída estátua religiosa
Natal, RN 21 de mai 2024

Após pressão, Prefeitura de Natal desiste de demolir duas escolas em local que será construída estátua religiosa

11 de maio de 2023
Após pressão, Prefeitura de Natal desiste de demolir duas escolas em local que será construída estátua religiosa

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

A Prefeitura de Natal voltou atrás e desistiu de demolir duas unidades de ensino da rede municipal no local em que será construído o Complexo de Adoração à Nossa Senhora de Fátima, na área da paróquia de mesmo nome, localizada no bairro Pajuçara, zona norte de Natal.

O projeto foi apresentado aos devotos da Igreja na última sexta-feira (5). Estimada em cerca de 60 metros, a estátua levará a assinatura do escultor pernambucano Ranilson Viana e será considerada, de acordo com a Prefeitura, a maior da América Latina.

A construção previa, inicialmente, a demolição da Escola Municipal Professora Maria Alexandrina Sampaio e do CMEI Santa Cecília, ambas de responsabilidade do governo municipal.

Segundo Jarbas Araújo Dantas, diretor administrativo financeiro da Maria Alexandrina, a direção ficou sabendo da informação por meio das redes sociais e de pais que os procuraram.

“[No projeto] tinha a imagem da santa de 60 m a ser construída no terreno de trás da escola, e a frente da escola ficava o santuário. Entre um e outro era uma praça, e aí ficou essa indagação: ‘cadê a escola?'. Buscamos a secretaria, mas infelizmente a secretaria a princípio disse desconhecer isso, mas como estava realmente na mídia e havia um questionamento muito grande por parte dos pais, a gente ficou insistindo até que o secretário adjunto de gestão realmente nos confirmou”, explica Dantas.

A informação dita pela Secretaria Municipal de Educação (SME), segundo o diretor, era que o projeto da Prefeitura não tinha um prazo definido ainda.

“Poderia durar 6 meses, um ano, como também poderia ser com uma semana, 15 dias. E então eles assumiram o compromisso conosco, disseram que no momento que tivessem algo realmente concreto eles viriam até a gente e reuniriam a comunidade escolar para informar sobre o projeto e discutir. Nós ficamos mais tranquilos, porém na semana seguinte aconteceu outra publicação no Instagram do prefeito, e essa publicação foi bem enfática, falando da construção de imediato”, diz Dantas.

A informação gerou uma mobilização de moradores do Conjunto Habitacional Parque das Dunas - a comunidade do Pajuçara-, pais, alunos e parlamentares para evitar o fim das unidades, que seriam realocadas para outro local. Um protesto aconteceu no sábado (6).

Os dois centros escolares têm juntos mais de mil alunos. Só na Maria Alexandrina são 1.032 crianças e adolescentes, segundo a direção. Já o Censo Escolar 2021 aponta 173 matrículas no Santa Cecília.

De acordo com Jarbas, não se trata de ser contra a estátua religiosa. Ele defende os equipamentos públicos que tragam benefício ao Parque das Dunas, mas com diálogo.

“Tudo aquilo que venha trazer benefícios pra comunidade eu sou a favor, agora você não pode simplesmente derrubar uma escola sem conversar com a comunidade”.

Nesta terça-feira (9), a Comissão de Educação da Câmara Municipal de Natal visitou as duas escolas. Em uma publicação nas redes sociais, o vice-presidente da comissão, Daniel Valença (PT), classificou a proposta de derrubada como “surreal” e destacou as qualidades da Maria Alexandrina.

Anúncio do prefeito na Igreja, na última sexta (5) | Foto: Joana Lima

“As salas todas climatizadas, tem biblioteca, tem laboratório de informática, quadra de esportes, quadra para vôlei e futevôlei. Uma estrutura diferenciada no conjunto da cidade do Natal”, afirmou.

Já o CMEI Santa Cecília também possui, segundo ele, “uma estrutura extraordinária”.  

“Primeiro que o terreno é da Prefeitura, não paga aluguel. São 180 crianças, ainda tem 100 na fila de espera, e como a gente percebe ele tá todo organizado com recursos federais. Então é inadmissível que a comunidade, que tem acesso a pé aos equipamentos de educação, tenha de ser relocada e se deslocar para outros bairros”, criticou.

Com a pressão, a prefeitura recuou. Na própria missa em que anunciou o projeto, Álvaro Dias (Republicanos) comunicou que as escolas permaneceriam no bairro. 

“Eu já havia conversado isso com o nosso arcebispo dom Jaime. Na época que eu conversei com ele há uns três meses atrás (...) ele me fez um pedido para manter as duas escolas que tem aqui. Naquele momento eu me comprometi com ele. Portanto, ninguém se preocupe que essas escolas vão ser mantidas”, justificou.

Explicações

A Comissão de Educação emitiu um ofício convocando a secretária de Educação, Cristina Diniz, e o prefeito Álvaro Dias, para que esclareçam sobre a possível demolição da Escola Municipal Maria Alexandrina Sampaio e do CMEI Santa Cecília, além da redução das vagas para a Educação de Jovens e Adultos na capital. O vereador Robério Paulino (PSOL) diz ser preciso “entender o que está acontecendo”.

“Segundo a população, que argumenta não ter sido consultada, a demolição abrirá espaço para a construção de um monumento religioso. Após pressão popular, o prefeito Álvaro Dias falou, informalmente, que não vai mais haver a demolição. Queremos só esclarecer e documentar essa decisão”, ressaltou.

Procurada, a Prefeitura de Natal não respondeu aos nossos questionamentos. Já a SME informou apenas que a informação recebida pela Prefeitura é que as escolas permanecem. Sobre a convocação de Cristina Diniz, a pasta disse que até o momento não chegou oficialmente nenhuma convocação para tratar deste assunto.

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.