Aves encontradas no litoral do RN não morreram por gripe aviária
Natal, RN 20 de jul 2024

Aves encontradas no litoral do RN não morreram por gripe aviária

30 de maio de 2023
Aves encontradas no litoral do RN não morreram por gripe aviária

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

As aves migratórias encontradas mortas no litoral do Rio Grande do Norte na semana passada não estavam contaminadas com a gripe aviária. As primeiras amostras enviadas para análise do Laboratório Federal de Defesa Agropecuária-LFDA/DAS, localizado em Campinas (SP), tiveram resultados negativos para infecção pelo vírus influenza aviária H5N1.

Os resultados dos exames foram divulgados na noite desta segunda (29) pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap). Os animais foram encontrados em Pirangi (Parnamirim), Sagi (Baia Formosa), Barra de Maxaranguape (Maxaranguape) e Búzios (Nísia Floresta).

Desde 22 de maio, o Brasil está em estado de emergência zoossanitária, emitido pelo Ministério da Agricultura e Pecuária, por causa da detecção da infecção pelo vírus da influenza aviária H5N1 em aves silvestres no Brasil. O decreto é válido por seis meses.

O vírus da gripe aviária é altamente contagioso e afeta aves silvestres e domésticas. Mas, as espécies contaminadas encontradas até o momento não são utilizadas para consumo.

Outros locais

Além do Rio Grande do Norte, também foram encontradas aves silvestres mortas em outros pontos do país. Na Paraíba, o exame feito em aves encontradas mortas em Intermares, na cidade de Cabedelo, também teve resultado negativo para a gripe aviária, conforme divulgado pelo governo local nesta segunda (29).

Também no dia de ontem a Estação Ecológica do Taim, na Região Sul do Rio Grande do Sul, foi interditada depois que 36 cisnes foram encontrados mortos. O local é uma das maiores reservas ambientais do mundo, com 33 mil hectares.

1º caso

No dia 15 deste mês o Ministério da Agricultura e Pesca registrou os primeiros três casos de aves contaminadas pelo vírus da influenza aviária H5N1 no país, sendo duas aves marinhas da espécie Thalasseus acuflavidus (Trinta-réis-bando), encontradas no litoral do Espírito Santo, e uma ave migratória da espécie Sula leucogaster (atobá-pardo), que desde janeiro estava no Instituto de Pesquisa e Reabilitação de Animais Marinhos de Cariacica (Ipram).

Recomendações

- Não tocar, recolher, resgatar ou receber aves mortas ou doentes em área litorânea;

- Caso encontre alguma ave nestas condições: doentes (cambaleantes) ou mortas, ligar para 190 ou para (84) 99147-6645 ou passar as informações para o email: [email protected];

- Cuidado com fontes de informações não confiáveis. Em caso de qualquer dúvida, consultar canais e perfis oficiais para checar a informação;

- Repasse essa informação aos frequentadores de praias, funcionários de hotéis, pescadores, moradores e demais envolvidos;

- As autoridades pedem que as pessoas que eventualmente tiveram contato com aves encontradas mortas ou doentes em área litorânea coloquem-se automaticamente em isolamento por dez dias e avisem ao serviço de saúde da sua região.

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.