“Cartas Obscenas de Linda Baptista” reúne crônicas de Carlão de Souza sob pseudônimo
Natal, RN 26 de mai 2024

"Cartas Obscenas de Linda Baptista" reúne crônicas de Carlão de Souza sob pseudônimo

12 de maio de 2023

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

O jornalista e escritor Carlos de Souza (1959-2019) publicou, sob pseudônimo feminino, crônicas bem humoradas a respeito da cena cultural natalense durante o ano de 1987, no jornal Tribuna do Norte. Esses textos foram resgatados pelo filho Alex de Souza, herdeiro da profissão e da boemia de Carlão, no livro póstumo Cartas Obscenas de Linda Baptista, que será lançado pelo Sebo Vermelho neste sábado (13), às 10h.

Alex detalha que reuniu 25 escritos, incluindo alguns publicados na seção Cartas, as crônicas que depois foram “promovidas” ao caderno de domingo com o título “Cartas Obs-Cenas de Linda Baptista” e outros textos que ajudam a dar o contexto da época, como notas de Woden Madruga sobre a coluna, a primeira crônica assinada com o nome Carlos de Souza após o cancelamento da coluna de Linda Baptista, a crônica em que ele narra a morte da personagem, publicada um ano depois e, por fim, uma carta póstuma que saiu na primeira edição do jornal do Sebo Vermelho.

Imagem: capa

Tendo ouvido muitas histórias sobre essa fase do escritor, Alex sabe que a “linguagem lírica e despojada” utilizada chamou a atenção do público, mas também foi a causa do cancelamento do espaço no impresso.

“Papai meteu um ‘foda-se’ no meio de uma das colunas publicadas. Foi a gota d'água para a direção do jornal, que era bastante liberal mas não deixava de ser o jornal do ex-governador do estado”, relata, referindo-se ao fundador do veículo, Aluízio Alves.

Com vocabulário mais comedido, o texto preferido do filho na coletânea revela quão provocativas eram as cartas de Linda Baptista:

“Eu sei que as pessoas são mentirosas, e que o jogo duro da vida traça um equívoco logo em torno de todos. Sei também que alguns ainda andam muito perto do coração selvagem. Então é preciso preservar estas, burrice torná‐los distantes com um arremedo de desprezo, tolice deixá‐los sozinhos por puro medo. Os imbecis são solidários até na morte. A máscara que encobre a sua vontade de vida, muito mais que transparente, revela uma angústia solene. Mas você ainda encontra forças para dizer sim, e se refugiar (ou se libertar) num misticismo que de tão puro denota uma carolice que você tenta evitar a qualquer custo, pois a religião (como a poesia) só admite os extremos.”

Enquanto isso, Alex tinha apenas oito anos, idade exata em que conheceu o pai. O jornalista revela que se aprofundar nos arquivos o ajudaram a colocar em perspectiva aquela parte de sua própria vida, os primeiros contatos com o universo de Carlão e com lugares e amigos que se tornariam também seus.

Foto em família no Sebo Vermelho: Rosa (tia), Carlão, Constância (irmã) e Alex de Souza.

“Eu passei a minha vida inteira ouvindo histórias sobre esses textos, de muitos amigos de papai, principalmente Abimael Silva [editor do Sebo Vermelho] e Augusto Lula. Durante a pandemia tirei uns meses para organizar as coisas que ele tinha deixado, quando passei um tempo vivendo na casa dele, em Pium. Aí veio a ideia de resgatar esses textos e a Cledivânia Pereira, que era diretora da TN na época, me garantiu acesso ao arquivo do jornal, porque papai não tinha nada guardado dessa época”, conta. “Também me espantaram um pouco porque ele era ainda jovem no período, não tinha nem chegado aos 30 anos ainda. Mas já sacava muita coisa.”

Sobre o autor

Carlão de Souza é natural de Areia Branca-RN e atuou na Tribuna do Norte, no Diário de Natal, TV Cabugi, em assessorias de campanhas políticas e publicou livros como "Crônica da Banalidade", "Cachorro Magro, "É Tudo Fogo de Palha", "Cidade dos Reis" e "Urbi". Também foi professor do curso de jornalismo da UFRN, editor de revistas como Preá e O Galo.

Morreu aos 60 anos, em 16 de agosto de 2019, diagnosticado com câncer.

O livro póstumo celebra a memória de Carlos de Souza e marca o aniversário do autor, que completaria 64 anos no dia 15 de maio, se estivesse vivo.

Lançamento | Cartas Obscenas de Linda Baptista
88 páginas – R$ 40 (R$ 30 apenas no lançamento)
Local: Sebo Vermelho (Avenida Rio Branco, 705 – Cidade Alta – Natal/RN)
Horário: 10h

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.