Sociedade civil elabora propostas para criar política de comunicação no SUS
Natal, RN 13 de jul 2024

Sociedade civil elabora propostas para criar política de comunicação no SUS

5 de maio de 2023
Sociedade civil elabora propostas para criar política de comunicação no SUS

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Com a preocupação de elaborar uma política pública de acesso à informação mais eficiente dentro do Sistema Único de Saúde (SUS) em todo o país, pessoas da sociedade civil vão se reunir virtualmente no próximo dia 16 durante a 2ª Conferência Livre de Comunicação e Saúde.

Alguns dos organizadores são professores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Para participar da Conferência é preciso se inscrever até este domingo (07) e, para isso, a pessoa interessada deve apresentar novas propostas no ato da inscrição, seguindo as orientações do CADERNO ORIENTADOR.

Dentre as propostas previamente apresentadas, 20 serão escolhidas através de plenária e levadas à 17ª Conferência Nacional de Saúde, que será realizada entre os dias 2 e 5 de julho, em Brasília.

"Uma comunicação robusta no SUS  é uma medida de proteção, por exemplo, para um eventual governo negacionista, antivacina, que dissemine desinformação, seja em escala estadual ou federal. Em casos nos quais houve tentativa de captura do serviço público para defender interesses pessoais, foi graças a servidores cientes de seu papel e responsabilidade que o estado brasileiro foi protegido", alerta Debora Pinheiro, analista técnica de políticas sociais do Ministério da Saúde e comunicóloga, que também integra a comissão organizadora da Conferência.

O que já foi elaborado?

A Conferência traz quatro eixos temáticos: ‘O Brasil que temos. O Brasil que queremos’, ‘O papel do controle social e dos movimentos sociais para salvar vidas’, ‘Garantir direitos e defender o SUS, a vida e a democracia” e ‘Amanhã será outro dia para todos, todas e todes’.

No eixo 1, a proposta é estruturar uma política nacional de comunicação pública do SUS e incluí-la no Plano Nacional de Saúde, para que seja transformada em política de Estado. Dentre as sugestões dessa etapa, está a criação de uma Câmara Técnica de Comunicação, no âmbito do Ministério da Saúde, formada por profissionais da comunicação do SUS e membros do Conselho Nacional de Saúde, além da criação de uma agência de notícias do SUS.

Já no eixo 2, algumas sugestões é reativar a Comissão Permanente Intersetorial de Comunicação e Saúde no Conselho Nacional de Saúde, incentivar estratégias de formação e educação continuada em comunicação pública.

No eixo 3, entre as propostas, está a de democratizar o acesso à internet de banda larga como forma de também garantir acesso à saúde, além de priorizar o uso de linguagem simples na comunicação do SUS, em substituição às linguagens técnica, científica ou jurídica.

E, por fim, no eixo 4, os pesquisadores querem garantir estruturas próprias de comunicação nos conselhos de saúde, criar um observatório de monitoramento e avaliação sobre desinformação e a criação de notícias falsas, além de desenvolver políticas de educação formal e informal sobre produção, circulação e consumo midiático das informações sobre saúde.

Serviço:

A Conferência é gratuita e virtual. Para se inscrever, CLIQUE AQUI.

Para conhecer as propostas já elaboradas, CLIQUE AQUI.

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.