DEMOCRACIA

10 anos depois: debate público analisa impactos e legados das ‘Jornadas de Junho’

Discutir os impactos e legados até os dias atuais das manifestações que ocorreram em todo o Brasil em junho de 2013. É com este objetivo que a União Estadual de Estudantes (UEE) reúne diferentes especialistas, estudiosos e movimentos na próxima segunda-feira (26). O debate terá início às 17h e será realizado no auditório da Biblioteca Central Zila Mamede, na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

As “Jornadas de Junho”, iniciada na noite do dia 17 de junho de 2013, quando cerca de 250 mil pessoas foram às ruas em 12 cidades do país com demandas que não cabiam em cartazes, tem origem num movimento potiguar de reivindicação contra o aumento das passagens de ônibus: a “Revolta do Buzão”.

Desde então, o Brasil e o mundo passaram por grandes mudanças, que têm estimulado reflexões e análises, propostas em diversas frentes e que tentam compreender as causas e desdobramentos daquelas manifestações.

As manifestações que tomaram o Brasil no ano de 2013 completam uma década neste mês. Dividem opiniões, mas sem dúvidas foram um marco político em nossa história”, avalia a UEE em chamado para o ato em sua conta nas redes sociais.

O debate será conduzido pela presidente da UEE no RN, Luh Vieira, que fará a mediação entre os expositores: a jornalista, professora e militante feminista, Celinna Carvalho; o militante da Unidade Popular e responsável pela redação do “Jornal A Verdade” no RN, Alex Feitosa; o coordenador da Revista Movimento e membro do diretório estadual do PSOL, Júlio Pontes; e o sociólogo, professor da Escola de Ciências e Tecnologia da UFRN e dirigente municipal do PT, Germano Neto.

Cada um deles trará uma perspectiva única para o debate com o objetivo de promover uma análise abrangente sobre os acontecimentos e suas implicações na sociedade brasileira. Entre os temas que serão abordados, as consequências políticas, sociais e econômicas do movimento.

A participação no evento é gratuita e aberta a todos os interessados.

Leia tambémOs acontecimentos de 8 de janeiro resultam de um processo que tem nas jornadas de 2013 um de seus marcos

“Passe livre já”: por onde andam algumas das lideranças das Jornadas de Junho de 2013 em Natal

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Previous ArticleNext Article