Prefeitura de Natal demite mais de 60 bombeiros civis das unidades de saúde
Natal, RN 5 de mar 2024

Prefeitura de Natal demite mais de 60 bombeiros civis das unidades de saúde

28 de junho de 2023
2min
Prefeitura de Natal demite mais de 60 bombeiros civis das unidades de saúde

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Natal realizou um corte e demitiu mais de 60 bombeiros civis que atuavam nas unidades de saúde da capital. 

A demissão em massa ocorreu em 16 de junho, quando a Prefeitura dispensou a empresa terceirizada que disponibilizava o serviço. O Sindicato dos Bombeiros Civis do RN (Sindboc) realizou um protesto em frente ao Executivo municipal contra a medida, no dia 20.

“A empresa [terceirizada] recebeu um comunicado em que a secretaria, por meio de ofício, informava o encerramento das atividades no mesmo dia”, explica João Paulo Rebouças, presidente do Sindboc. 

“Ou seja, no dia 16, a partir das 23h59, não interessaria mais para a secretaria ter a presença do serviço de bombeiros civis, e isso não teve uma breve explicação nem um aviso prévio para que os trabalhadores fossem demitidos. Foi dessa forma e com esse tratamento que a secretaria fez com todos os trabalhadores”, critica.

Os bombeiros civis atuam de maneira preventiva para evitar incêndios. 

“E se vier a acontecer somos os primeiros profissionais a dar os atendimentos. Infelizmente, por negligência, imprudência e imperícia do secretário ao comunicar a empresa para retirada do serviço, não só a população ficou à mercê, como qualquer outra pessoa que esteja acometida de alguma doença passando por tratamento”, diz Rebouças.

Segundo o bombeiro, mesmo após o protesto em frente à Prefeitura, os profissionais continuam sem explicações sobre o motivo de terem sido cortados. De acordo com João Paulo Rodrigues, parte das unidades de saúde da capital estão com as edificações em estado precário, principalmente a Maternidade Araken Farias. 

“E agora que juntou com o hospital pediátrico, então são dois em uma só edificação, numa edificação que não é projetada para uma unidade de saúde”, explica.

Procurada para explicar o motivo da retirada dos bombeiros civis, a Secretaria Municipal de Saúde não respondeu.

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.