Professor da UFRN integra grupo de trabalho do MEC com especialistas em violência nas escolas
Natal, RN 23 de jul 2024

Professor da UFRN integra grupo de trabalho do MEC com especialistas em violência nas escolas

20 de junho de 2023
2min
Professor da UFRN integra grupo de trabalho do MEC com especialistas em violência nas escolas

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

O professor da UFRN e presidente do Sindicato dos Professores da UFRN (ADURN-Sindicato), Oswaldo Negrão, é um dos integrantes de um grupo de trabalho instituído pelo Ministério da Educação (MEC) que reúne especialistas em prevenção da violência nas escolas.

A nomeação do docente foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) de 12 de junho. A comissão tem caráter consultivo e de assessoramento ao MEC, e os encontros acontecerão por meio de videoconferências. Além disso, haverá a entrega de relatórios e cronogramas realizados pela equipe, definida pela própria comissão.

Oswaldo é associado ao Departamento de Saúde Coletiva da universidade. Entre as funções, o grupo irá subsidiar o MEC na elaboração de políticas de proteção ao ambiente escolar e também na escuta de demais atores da sociedade civil sobre este tema.

Para o sindicalista, é preciso pensar em diferentes meios de se enfrentar a violência. Nesta segunda-feira (19), o Brasil registrou mais um ataque em um colégio em Cambé, no interior do Paraná. Um atirador disparou contra estudantes e matou uma aluna de 17 anos. O assassino foi preso.

“É muito importante o debate e pensarmos em estratégias que possam de fato contribuir para as questões relativas a situações de violência, mas fundamentalmente em estratégias de fortalecimento de uma rede de proteção da sociedade para os ambientes escolares”, destacou Oswaldo.

Segundo Negrão, as ações travadas pelo grupo devem passar por todos os níveis: pré-escola, ensino fundamental, médio e superior. 

“Todos esses ambientes precisam ser valorizados, respeitados e identificar de forma mais precoce possível condições ou situações que possam desencadear outras ações violentas”, afirmou

“Este é um trabalho coletivo e que nós temos a perspectiva de contribuir também melhor forma possível com os desdobramentos das ações que vêm sendo implementadas nesse primeiro momento em Brasília, mas com desdobramentos de médio prazo também para Estados e municípios”, continuou.

Este é o segundo grupo formado para tratar da violência escolar. Em abril, o MEC já havia formado uma comissão interministerial com prazo de 90 dias para apresentar um relatório final sobre o tema e uma proposta de ações para a construção de uma política nacional de enfrentamento à violência.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.