Vírus do SARS-CoV-2 chega ao cérebro através de sinapses do olfato, revela pesquisador do Instituto do Cérebro
Natal, RN 22 de mai 2024

Vírus do SARS-CoV-2 chega ao cérebro através de sinapses do olfato, revela pesquisador do Instituto do Cérebro

20 de junho de 2023
3min
Vírus do SARS-CoV-2 chega ao cérebro através de sinapses do olfato, revela pesquisador do Instituto do Cérebro

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

O professor e pesquisador do Instituto do Cérebro da UFRN, Eduardo Sequerra, conversou sobre os efeitos da Covi-19 na memória no Balbúrdia desta terça (20).

Muito se falou, durante a pandemia, sobre a perda de olfato entre alguns pacientes infectados pela covid-19. Sequerra esclarece que há relatos de sequelas no sistema neurológico em decorrência da doença e que um estudo realizado nos Estados Unidos aponta para a perda da capacidade de atenção, memória episódica, aumento da sensação de dor e perda de olfato.

A curva de controle mostra muita gente com pouca atenção e um rastrinho de pessoas com muita atenção. Na covid, fica todo mundo concentrado aqui embaixo [entre o grupo de pessoas com pouca atenção]. Não é que fique super diferente, mas perdemos aquelas pessoas que têm maior desempenho em atenção”, detalha Sequerra.

O pesquisador, porém, ressalta que o estudo foi realizado apenas com pacientes que procuraram o sistema de saúde com alguma queixa, ficando de fora as pessoas que não tiveram acesso a atendimento médico.

Descobertas

Algumas pesquisas apontam, ainda, que o vírus da covid-19 alcança os neurônios responsáveis pelo olfato.

O que não sabíamos e que veio da autópsia de alguns seres humanos e, depois, de experimentações com o macaco Rhesus, é que o SARS-CoV-2 caminha por esse neurônio e consegue fazer sinapse com outro neurônio ligado ao olfato. Os dados também apontam que ele caminha pelo cérebro através de sinapse a sinapse, pelo sistema olfativo”, explica.

Outros dados trazidos pela pesquisa é que o vírus se reproduz em maior quantidade no corpo de macacos idosos e que assintomáticos têm a mesma probabilidade de desenvolver perda de memória que os sintomáticos.

O professor do Instituto do Cérebro da UFRN também aponta para outros efeitos psiquiátricos e neurológicos provocados pelo isolamento social do período.

Se pensarmos que muitas pessoas entraram em depressão porque estavam isoladas socialmente e não porque pegaram covid-19, a depressão por si só já pode provocar uma perda de memória”, avalia Sequerra.

Reversível

Essa coisa de déficit atencional e de memória episódica não é irreversível, pelo menos nesses casos de covid não espero que seja. Existem exercícios para melhorar a atenção, estão aí os fisioterapeutas, o pessoal da terapia ocupacional que pode ajudar nessa reversão parcial ou completa do quadro”, aponta o pesquisador, que destacou o isolamento social como efeito importante no público jovem que frequenta a escola.

Confira a entrevista completa:

(85) Os efeitos da covid-19 na memoria: entrevista com Eduardo Sequerra I Balburdia (20/06/2023) - YouTube

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.