Taxa de analfabetismo de potiguares com deficiência é 3 vezes maior do que entre os que não possuem deficiência
Natal, RN 18 de mai 2024

Taxa de analfabetismo de potiguares com deficiência é 3 vezes maior do que entre os que não possuem deficiência

7 de julho de 2023
2min
Taxa de analfabetismo de potiguares com deficiência é 3 vezes maior do que entre os que não possuem deficiência

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

A taxa de analfabetismo das pessoas com deficiência no RN foi de 29,9% em 2022. O dado foi divulgado pelo IBGE nesta sexta-feira (7) e faz parte da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADC).

O IBGE observou que a taxa de analfabetismo cresceu com a idade, refletindo a maior escolarização das gerações mais jovens. As pessoas de 25 anos ou mais de idade com deficiência no estado apresentaram maiores percentuais para os grupos que não completaram a educação básica: 65,3% eram sem instrução ou com o fundamental incompleto; e 11% tinham o fundamental completo ou médio incompleto. Os percentuais foram, respectivamente, 37,1% e 13,5% entre as pessoas sem deficiência.

O percentual de pessoas desse grupo etário (25 anos ou mais de idade) que concluíram a educação básica obrigatória, que consiste em concluir no mínimo o ensino médio, foi de 16,9% para as pessoas com deficiência. Do total de pessoas do grupo etário de 25 anos ou mais de idade, as parcelas que correspondem a ter o nível superior foram 6,8% para as pessoas com deficiência e 15,9% para as pessoas sem deficiência.

Essas diferenças, quanto à conclusão da etapa obrigatória, também foram percebidas entre sexos quanto à existência ou não da condição de deficiência, de acordo com a Pesquisa.

Em 2022, no RN, 20% das mulheres com deficiência possuíam o ciclo básico educacional concluído frente à 12,1% dos homens em igual condição. No mesmo indicador, pessoas sem deficiência concluíram em maior percentual, sendo 35% mulheres e 32% homens.

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.