Marcha das Margaridas quer ampliar participação das mulheres na política, diz coordenadora do movimento no RN
Natal, RN 22 de fev 2024

Marcha das Margaridas quer ampliar participação das mulheres na política, diz coordenadora do movimento no RN

22 de agosto de 2023
3min
Marcha das Margaridas quer ampliar participação das mulheres na política, diz coordenadora do movimento no RN

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Realizada entre 15 e 16 de agosto, a edição de 2023 da Marcha das Margaridas reuniu uma multidão de mulheres em Brasília. Só do Rio Grande do Norte, foram mais de mil trabalhadoras que participaram da manifestação feminista e contra a violência. Para a coordenadora do movimento no Estado, Jocélia Silva, um dos desafios agora é estimular ainda mais a participação das mulheres na política institucional. Ela foi convidada do programa Balbúrdia desta terça-feira (22).

“A gente tem essa compreensão de que nós precisamos nos envolver com política, sim. Precisamos ocupar as Câmaras de Vereadores, as Prefeituras, aumentar a participação porque é um número mínimo, muito pequeno. Muitas prefeituras do nosso Estado não têm uma mulher na Câmara, não tem uma mulher que representa. E não basta a gente dizer ‘a gente vai botar uma mulher, vai ser qualquer mulher’. Tem que ser uma mulher que defenda as pautas das mulheres, porque senão vai continuar sem fazer diferença”, defendeu Jocélia.

Para a coordenadora, há um machismo estrutural que impede que mais mulheres ocupem cargos de destaque no cenário político.

“Não adianta ter cota nas candidaturas, a gente precisa ter cota no mínimo nas Câmaras, para que realmente as mulheres consigam chegar lá. Os homens são desde pequenos treinados a falar, se expressar, e as mulheres são sempre reprimidas, a ficarem quietas, a ficarem caladas e a aceitar o que disserem, então isso tudo é uma questão muito estrutural”, explicou.

Realizada a cada quatro anos, a Marcha 2023 contou com forte participação de lideranças do governo federal, como ministros e o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Silva destacou as conquistas obtidas a partir da mobilização.

“As primeiras assinaturas de portarias são da ministra das Mulheres Cida Gonçalves, que reinstalou o Fórum de Políticas Para as Mulheres Rurais, vários comitês de discussão sobre as políticas que serão implementadas, a questão também do Comitê de Enfrentamento à Violência. Já existe no Estado e ela criou um nacional”, afirmou.

Outros avanços, segundo Jocélia, foram a ampliação das unidades móveis de atendimento às mulheres, com mais de 270 veículos novos para esse serviço.

“A Marcha das Margaridas se tornou essa potência mundial, onde a gente constrói essas pautas, discute com as mulheres e consegue apresentar isso em propostas para os poderes públicos, tanto executivo, legislativo, a nível estadual, federal e municipal”, apontou.

Assista a entrevista completa:

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.