Minha vida de traficante
Natal, RN 27 de mai 2024

Minha vida de traficante

12 de agosto de 2023
3min
Minha vida de traficante

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Comecei cedo. Aos 12 anos eu traficava na garagem lá de casa. Aos 14, comecei a fazer o mesmo em uma escola. Iniciei traficando pros colegas de sala, iam receber a mercadoria lá em casa. Depois, pros colegas dos colegas... e na escola, era para crianças de 1º a 4º ano do ensino infantil que eu traficava.

Meu começo já foi numa rede internacional. É! Porque eu comecei traficando língua estrangeira. Comecei traficando inglês. Inglês que minha prima, vinda de Brasília, traficou pra mim. Vocês sabem, né!? É uma rede. Começa com alguém mais velho que alicia o mais novo e assim vai...

Minha prima Marília, traficante de línguas, mitologia e geografia foi quem me viciou em conhecimento. E, viciada, achei que outras pessoas deveriam experimentar aquela droga. Fui aprendendo a traficar aos poucos, na marra. Errei um bocado, mas melhorei muito de lá pra cá.

Afinal, comecei aos 12, na garagem, lembra! Minha mãe me ajudava. Comprou um lousa verde, um apagador e uma caixinha de giz colorido. Eram minhas armas, meus instrumentos de contravenção. Depois do inglês, me envolvi com droga mais pesada: Língua portuguesa. Difícil! Mas a galera precisava e eu comecei a investir no bagulho.

Quando eu menos esperei, já tava dominando a zona toda. Entrava em outras escolas e assumia outras salas de aula... Aí não teve mais jeito, fui virando a chefona do tráfico na minha área.

Tá pensando que eu me contentei com a minha zona?! Que nada!, saí dominando os outros territórios. De Currais Novos, onde comecei meu tráfico, fui me expandido pro Seridó todo. Dominei Acari, Caicó, Jardim do Seridó, Parelhas, Cruzeta... Cheguei até o Trairi. Teve um tempo que também traficava em Santa Cruz... Cheguei à capital.

Ninguém conseguiu mais me segurar. Pois é! Comecei a traficar com 12 anos, hoje tenho 46. São 34 anos traficando. Trafiquei inglês, português, espanhol, literatura, redação... Diversifiquei meus produtos e virei uma traficante de renome.

Mó orgulho! Ainda domino minha zona. E tenho trazido mercadoria nova: direitos humanos, questões de gênero e sexualidade, universo LGBTQIAPN+, feminismo, transfeminismo, combate às violências contra mulheres e minorias....

Já tentaram me apagar algumas vezes, mas a rede de comando me protege. E quando pensam que eu saí de cena, eu apareço e o bagulho fica doido. Nasci pra traficar. Traficar conhecimento. E se “tu não experimentou” ainda, deixe de caretice. Conhecimento é bom pra burro. E pra burrice de certos deputados que sobem em palanques pra nos comparar a quem trafica bagulho ruim.

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.