Natal teve, em média, 7 casos de violência doméstica por dia em julho
Natal, RN 24 de jul 2024

Natal teve, em média, 7 casos de violência doméstica por dia em julho

18 de agosto de 2023
3min
Natal teve, em média, 7 casos de violência doméstica por dia em julho

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Nesta quarta (16), um homem de 25 anos foi preso em Touros, no interior do Rio Grande do Norte, por descumprir uma Medida Protetiva de Urgência (MPU). Ele continuava importunando a vítima por meio de rede social e mensagens de aplicativo, e ainda desafiou a justiça e xingou os policiais civis da Delegacia de Touros (88ª DP). O homem, que depois de ser preso negou ter descumprido a MPU, foi encaminhado ao sistema prisional.

Homem importuna vítima com Medida Protetiva de Urgência I Imagem: divulgação Polícia Civil
Homem importuna vítima com Medida Protetiva de Urgência I Imagem: divulgação Polícia Civil

O caso, ocorreu em agosto, mas em julho, tanto a Polícia Militar quanto a Civil registraram casos que colocam a violência contra a mulher entre os crimes mais frequentes.

Depois da perturbação do sossego alheio (541), roubo (319) e ameaça (238), a violência doméstica foi o crime com maior número de casos registrados pela Polícia Militar no mês de julho em Natal, com um total de 217 ocorrências. A média, é de sete casos por dia na capital, segundo os dados são da Coordenadoria de Informações Estatísticas e Análises Criminais, da Secretaria Estadual da Segurança Pública e da Defesa Social.

Mas, como exemplificado anteriormente, esse não é um problema apenas da capital potiguar. Os casos de violência doméstica passaram de 1.988 em 2021 para 2.740 em 2022, o que representa uma alta de 37,3% em todo o Rio Grande do Norte, segundo o Anuário Brasileiro de Segurança Pública de 2023.

Registros da PM em julho:

Ameaça: 238

Arrombamento: 68

Atrito verbal: 146

Dano/depredação: 30

Disparo de arma de fogo: 43

Entorpecentes e drogas afins: 94

Furto: 210

Invasão: 110

Lesão corporal: 136

Perturbação do sossego alheio: 541

Roubo: 319

Solicitação de policiamento: 608

Vias de fato: 71

Violência doméstica: 217

A ameaça, assim como nos registros da PM, também está entre as principais ocorrências da Polícia Civil, com 334 casos na capital potiguar. O levantamento ainda aponta, em maior número, os registros de estelionato (711), furto (844) e roubo (614).

Registros da Polícia Civil em julho:

Ameaça: 334

Apropriação indébita: 30

Calúnia: 43

Dano: 75

Difamação: 64

Drogas/ tráfico: 42

Estelionato: 711

Furto: 844

Injúria: 152

Lesão corporal: 144

Roubo: 614

Vias de fato: 52

Violação de domicílio: 21

Dentre os inquéritos instalados pela Polícia Civil houve, pelo menos, cinco tentativas de feminicídio no RN. As ocorrências foram registradas em Luís Gomes, Ceará-Mirim, Mossoró, Natal e na Delegacia de Plantão de Atendimento a Grupos Vulneráveis, a antiga Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), também em Natal.

Letalidade Policial

Em todo o Rio Grande do Norte, 14 pessoas morreram em confronto policial, sendo 8 em Natal, 2 em Arez, 2 em Viçosa, 1 em Macaíba e 1 em São Gonçalo do Amarante.

Policiais mortos

Nesse mesmo período, um policial militar aposentado foi morto, fora de serviço, no município de Itajá.

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.