General Girão será ouvido pela PF em inquérito sobre atos golpistas, autoriza Moraes
Natal, RN 26 de fev 2024

General Girão será ouvido pela PF em inquérito sobre atos golpistas, autoriza Moraes

28 de setembro de 2023
3min
General Girão será ouvido pela PF em inquérito sobre atos golpistas, autoriza Moraes

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar
O deputado federal General Girão (PL) será ouvido pela Polícia Federal (PF) em um inquérito sobre a suposta incitação do parlamentar aos atos antidemocráticos de 8 de janeiro. A medida foi determinada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, e faz parte do inquérito 4939, tendo sido confirmada pela agência Saiba Mais. A investigação é para saber se Girão incitou os atos golpistas de janeiro, marcados por depredações aos prédios da Praça dos Três Poderes, em Brasília, no início do ano. A apuração acontece depois de um pedido apresentado pela Procuradoria-Geral da República (PGR). O depoimento do deputado do Rio Grande do Norte à PF deverá acontecer dentro de um prazo de 10 dias, a ser contado a partir desta segunda-feira (25), quando a oitiva foi autorizada.  Investigações De acordo com a Polícia Federal, Girão organizou um grupo de pessoas para “manter-se firmes no propósito de cometer crimes contra o Estado Democrático de Direito”.  Segundo o inquérito, aberto em agosto, Girão fez publicações em redes sociais, apareceu em vídeos e incitou, “em tese, animosidade entre as forças armadas e os poderes constitucionais, as instituições e a sociedade”. Ao deputado são atribuídos dois crimes: tentativa de abolição, com emprego de violência ou grave ameaça, do Estado Democrático de Direito, e tentativa de deposição, por meio de violência ou grave ameaça, de governo legitimamente constituído. A investigação atual é a continuidade de um outro inquérito, aberto em julho por Moraes. A decisão daquele mês atendeu a pedidos da Procuradoria-Geral da República (PGR) e da Polícia Federal, que analisaram uma série de publicações do bolsonarista em redes sociais, onde “se verificam uma reiterada tentativa de descrédito da Justiça Eleitoral e de disseminação de notícias fraudulentas”. Procurada, a Polícia Federal informou que não se manifesta sobre eventuais investigações em curso. A assessoria do deputado federal General Girão não se posicionou até o fechamento desta matéria. O espaço segue aberto para manifestações. Por meio de nota, o General firmou que: O Deputado General Girão informa que esse depoimento na PF é apenas um desdobramento normal do processo e que, mesmo antes de ser intimado, já havia se colocado a disposição da justiça e da polícia para depor, pois não teme a verdade.

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.