Denúncia: Hospital da Mulher funciona com menos de 50% da capacidade
Natal, RN 26 de mai 2024

Denúncia: Hospital da Mulher funciona com menos de 50% da capacidade

28 de dezembro de 2023
3min
Denúncia: Hospital da Mulher funciona com menos de 50% da capacidade
Hospital da Mulher I Foto: Sandro Menezes

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Inaugurado há um ano, o Hospital da Mulher Parteira Maria Correia, instalado em Mossoró (RN), continua funcionando com menos de 50% de sua capacidade, de acordo com denúncia do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Rio Grande do Norte (Sindsaúde/RN).

A unidade tem uma ala ambulatorial em funcionamento, com salas de vacina, observação e medicação, além dos serviços de pré-natal de alto risco, atendimento em mastologia, ginecologia, ultrassonografia, práticas interativas em saúde, ambulatório trans, acolhimento para mulheres e pessoas com útero em situação de violência sexual.

O projeto original ainda prevê a abertura de 163 leitos, sendo a maioria para internação, e 45 para outros serviços, como urgências, atendendo pacientes de mais de 60 municípios. Porém, a direção do Sindsaúde é de que toda a estrutura construída tem servido, apenas, para a realização de consultas, o que implica no desperdício de UTI’s, salas de emergência e de cirurgia, que não são utilizadas por falta de recursos humanos.

Diante desse quadro, a direção do Sindsaúde pede que o Governo do Estado convoque os candidatos aprovados no cadastro reserva e realize concurso público para preencher as vagas que vão garantir o funcionamento pleno do Hospital da Mulher Parteira Maria Correia, que fica em Mossoró, a 2ª maior cidade do estado, mas que conta com uma única maternidade, que é privada e conveniada ao SUS.

"Na época, o Sindsaúde/RN entendeu como uma importante vitória a construção de uma unidade de grande porte que buscaria reduzir os altos índices de mortalidade materno-infantil. No entanto, constatamos que, um ano depois de sua inauguração, não houve nenhum avanço no que se refere à prestação de serviços, servindo apenas como uma mera propaganda eleitoral", traz o comunicado do Sindsaúde/RN. 

Por meio de nota, a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) informou que:

O Hospital da Mulher, após um ano de funcionamento, segue consolidando-se como um importante equipamento de saúde pública para a população de mais de 60 municípios do Oeste. A unidade conta com 27 serviços ativos, sendo vários deles pela primeira vez ofertados na rede pública da região, tendo realizado mais de 7 mil atendimentos desde sua inauguração, com 130 profissionais atuando no hospital”.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.