Bloco Alô Frida desfila em Mossoró pelo 10º ano com folia feminista
Natal, RN 5 de mar 2024

Bloco Alô Frida desfila em Mossoró pelo 10º ano com folia feminista

26 de janeiro de 2024
4min
Bloco Alô Frida desfila em Mossoró pelo 10º ano com folia feminista
Foto: divulgação

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

O bloco feminista Alô Frida se prepara para desfilar pelo décimo ano seguido em Mossoró. A folia se estende pelo Corredor Cultural sempre sempre nas quintas-feiras que antecedem o Carnaval e neste ano vai às ruas da capital do Oeste em 8 de fevereiro. 

Para 2024, a folia sem machismo, sem racismo e sem LGBTfobia se concentrará a partir das 19h em frente ao Boteco do China, na Praça de Convivência, centro da cidade. De lá, sairá pelas ruas com a animação da banda Pode Inté For. A festa terminará com show da cantora mossoroense Renata Falcão. 

Nesta edição, o Alô Frida homenageia a liderança da Marcha Mundial das Mulheres (MMM), Nalu Faria, que morreu em outubro do ano passado. 

“Nalu é uma referência feminista nacional e internacional, uma grande lutadora do feminismo popular, perto da vida real, para mudar concretamente a vida das mulheres. Ela esteve presencialmente no nosso bloco no primeiro ano, 2015, e em 2017”, disse Rejane Medeiros, do Centro Feminista 8 de Março e uma das organizadoras do bloco. 

“Mas sua liderança nunca nos faltou. Dizer Nalu Faria presente é uma forma de reafirmar que seguiremos a sua luta, alegria e irreverência, até que todas sejamos livres”, afirmou.

Além de homenagear Nalu, o bloco vai trazer um encontro de bonecas gigantes para a avenida. Mas, para Pluvia Oliveira, da Marcha Mundial das Mulheres e da coordenação do Alô Frida, ainda falta incentivo à cultura popular mossoroense. Ela diz que antes da boneca da Frida, outras bonecas e bonecos fizeram o carnaval de Mossoró mas encontram dificuldade para seguir fazendo a alegria.

“Como forma de dizer que o carnaval popular vive e resiste na nossa cidade, reuniremos diversas bonecas e bonecos gigantes, um grande encontro que, com certeza, fará dessa nossa folia ainda mais plural e especial”, destacou.

O problema da falta espaço para um carnaval feminista e popular, entretanto, não se restringe somente a Mossoró, segundo Oliveira.

“Olhe que temos diversas manifestações culturais e carnavalescas em nossa cidade, como as bonecas e bonecos gigantes, entre elas as mais históricas como Mamãe Dolores e Maria Espalha Brasa, ursos, escola de samba, entre outras expressões”, lembrou.

A festa sem os incentivos à violência é o grande diferencial do bloco, de acordo com a militante da Marcha Mundial.

“Nós gostamos de folia e o Alô Frida é um bloco onde não tocamos marchinhas ou usamos fantasias que reforçam os estereótipos. Queremos e fazemos um debate a partir da folia que é possível construir uma sociedade livre de violência sem machismo, racismo e lgbtfobia”, apontou.

Gratuito

O evento é gratuito e aberto a todos os públicos. O Alô Frida conta com o apoio do Centro Feminista 8 de Março, Marcha Mundial das Mulheres, Boteco do China, Associação Cutural Monxorós e o mandato da deputada estadual Isolda Dantas (PT).  

O bloco possui uma camiseta que não é obrigatória para os foliões, mas que ajuda a manter o bloco vivo, sob o custo de R$ 25. Neste ano, também está à venda uma pochete personalizada com a mesma arte do bloco pelo mesmo preço de R$ 25. 

Mais informações podem ser conferidas no Instagram @blocoalofrida. Para adquirir qualquer dos produtos, o contato é o (84) 98880-1250 (falar com Juçara).

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.