É costume!
Natal, RN 22 de fev 2024

É costume!

20 de janeiro de 2024
3min
É costume!
Foto: Reprodução de foto do filme "Call me by your nome"

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Lá vem eu novamente falar sobre meu nome. Pois é, nem devia! Mas vamos lá! Pra que você entenda a treta dessa vez, vamos aos fatos...

Uma pessoa que não me vê há não sei quanto tempo, me chama pelo nome morto. Até aí tudo bem, ninguém é obrigado a saber que eu alterei meu nome em cartório (deixo isso claro), mas...

Se eu digo que fiz a alteração de nome e gênero e que o Estado brasileiro me reconhece oficialmente, do cartório ao plano funerário como Bia Crispim, brasileira de gênero feminino, por que é que simplesmente as pessoas, que acabaram de saber da mudança, não respeitam isso?!

Ah, né por mal não, é costume!

COSTUME!!!!!???? Costume uma merda! (Pra não dizer uma palavra mais ácida! – porque foi o que me deu vontade).

Que costume!? A pessoa não me vê há anos, não convive comigo, não sabe da minha vida... Tá acostumada com o quê, mesmo?! Com um nome que ela não usa, com um nome pelo qual ela não chama, com quem ela não conversa, nome que ela não repete há só Deus sabe quanto tempo?!

Costume!?

Quem estava acostumado/a/e ao meu nome morto era minha família, que conviveu com ele até a mudança. Quem estava acostumado/a/e a ele era quem o usava no dia-a-dia... Mas uma fulana qualquer que sabia que eu tinha outro nome me dar a desculpa de não conseguir me chamar pelo meu nome VIVO, o qual eu faço questão de DIZER, de VERBALIZAR, vir abrir a boca pra falar de costume!? ME POUPE!!!!!

Tô com raiva?! Tô!!!

Tô indignada!? Tô!!!

Vou fazer o quê?! Me impor, impor meu nome, impor respeito a quem sou. E quanto ao costume alheio... “Acostuma-te à lama que te espera!” como diz Augusto dos Anjos, mas não a um nome que já não diz quem eu sou. Acostuma-te ao meu nome VIVO.

Eu me chamo BIA CRISPIM! Respeita, pô!

Ou do contrário farei como dos Anjos: Apedrejarei essa mão vil que me afaga, e escarrarei nessa boca simpática e cheia de desculpas que me beija!

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.