Ato em Natal vai pedir fim das exportações de animais vivos
Natal, RN 30 de mai 2024

Ato em Natal vai pedir fim das exportações de animais vivos

23 de março de 2024
4min
Ato em Natal vai pedir fim das exportações de animais vivos
Foto: Divulgação/PortosRS

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Natal será uma das 18 cidades brasileiras a participar, neste domingo (24), de um protesto convocado pelo Movimento Nacional Pelo Fim das Exportações de Animais Vivos. O ato vai acontecer na calçada do Midway Mall a partir das 16h.

A manifestação busca denunciar as crueldades e irregularidades envolvidas no mercado de exportação de animais vivos para consumo. Os ativistas ainda querem conscientizar a população sobre as ameaças envolvidas nessa cadeia produtiva e promover a assinatura de petições, como numa consulta pública do Senado sobre o projeto de lei 3093/2021, que proíbe a exportação de animais vivos para abate no exterior. 

De acordo com Patrícia Aguiar, uma das ativistas do Movimento Nacional, já é cientificamente comprovado que os animais possuem senciência, ou seja, a capacidade de sentir sensações e sentimentos de forma consciente.

“Então eles tem sensibilidade, eles sentem, eles choram, eles sofrem, eles tem tristeza, eles sentem alegrias, eles amam”, defende. 

Já no transporte, diz Aguiar, os animais enfrentam vários quilômetros desde a fazenda onde estavam até o destino final, sendo jogados de um lado para o outro. No percurso, muitos se machucam dentro dos caminhões e até quebram patas.

“Chegando nos embarques, são embarcados em grande número, em locais pequenos dentro do navio, onde passam por uma viagem de 20, 25 dias em alto mar, às vezes 30 dias”, relata.

Dentro, diz a ativista, costumam se acumular fezes e urinas, que podem causar uma doença pulmonar nos bovinos.

“Muitos morrem no meio do caminho da viagem, porque não aguentam a distância, não aguentam o próprio cheiro que fica lá dentro. Em muitos casos, dentro dos navios, existe um triturador onde animais que morrem durante a viagem são jogados nesse triturador e o despejo deles vai pro mar. Então são inúmeros os maus tratos”, comenta Patrícia.

Aguiar ainda critica os métodos de abate chamados de “Halal” e “Kosher”, que é aplicado em alguns países: os animais são sacrificados com um corte na garganta e deixados sangrando por horas até morrer.

E qual seria a alternativa para evitar maus-tratos?

“Nós, como veganos, vegetarianos, ativistas pelos animais, óbvio que a gente gostaria que fosse abolido todo tipo de maus-tratos e todo tipo de morte dos animais”, diz a ativista.

Sabendo das dificuldades, contudo, o movimento defende que essa exportação possa ao menos gerar impostos para o Brasil. Hoje, essa atividade econômica recebe isenção por conta da chamada Lei Kandir, que isenta as atividades primárias do pagamento do ICMS.

Outra opção é para que os abates sejam feitos no próprio país de origem. 

“Eles sendo feitos aqui no Brasil, vai gerar impostos, vai gerar empregos, vai ser muito melhor pro nosso país. E muito melhor, claro, pros animais”, aponta Aguiar.

Além de Natal, a manifestação nacional programada para este domingo vai ocorrer simultaneamente em outras 17 cidades, com a adesão de aproximadamente 90 coletivos dedicados à causa animal espalhados por todo o país. As cidades envolvidas são: Belo Horizonte/MG, Brasília/DF, Curitiba/PR, Florianópolis/SC, Natal/ RN, Porto Alegre/RS, Rio de Janeiro/RJ, Salvador/BA, São Luís/MA, São Paulo/SP e Vitória/ES, bem como nas cidades de Barra do Corda/MA, Campinas/SP, Guarujá/SP, Rio Claro/SP, Rio Grande/RS, Santos/SP e São Sebastião/SP.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.