Pedro Velho vai votar pela 3ª vez nova chapa para a Prefeitura
Natal, RN 16 de abr 2024

Pedro Velho vai votar pela 3ª vez nova chapa para a Prefeitura

2 de março de 2024
3min
Pedro Velho vai votar pela 3ª vez nova chapa para a Prefeitura
Foto: Pedro Velho / Reprodução Internet

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

A cidade de Pedro Velho, no agreste potiguar, vai passar pela terceira eleição para a Prefeitura em menos de quatro anos. Isso acontece porque desde as eleições de 2020, as candidaturas eleitas passaram por cassações de mandato. As eleições estão marcadas para esse domingo (3) de março.

O Tribunal Regional Eleitoral fixou essa terceira data após constatar diversas irregularidades desde as últimas eleições oficiais para gestão municipal em 2020. A resolução você vê aqui.

O candidato que vencer mais essa eleição suplementar vai fazer uma gestão "tampão" até o fim de 2024, porque em outubro haverá eleições municipais em todo o Brasil, seguindo o calendário eleitoral regular. Por causa disso, o Município, que tem mais de 11 mil eleitores, vai passar pela quarta eleição em um período de quatro anos. 

SAIBA MAIS - Município do RN terá duas eleições municipais em 2024; entenda

SAIBA MAIS - TRE confirma cassação de 2ª prefeita em cidade no interior do RN

Os candidatos que pleiteiam o cargo são: na primeira chapa, João Celso Targino (MDB) e Ananilda Barbosa (PSDB), concorrendo a prefeito e vice-prefeita, respectivamente. E na segunda, Júnior Balada (União Brasil), candidato a prefeito, e Jader Marques (União Brasil), como vice-prefeito.

Desde setembro, Francisco Gomes (Pros), presidente da Câmara Municipal da Cidade, é o gestor interino do município. Ele continua até o próximo domingo (3), quando uma nova chapa será eleita e ficará até dezembro. 

Entenda o histórico de cassações na cidade 

O município de Pedro Velho teve duas chapas do Executivo Municipal cassadas consecutivamente. Em 2022, Derjelane (Dejinha) Macedo (PSDB) e Inácio Costa, prefeita e vice-prefeito, foram afastados por abuso de poder político. Os candidatos foram eleitos nas eleições de 2020 e respondem por abuso, após a Prefeitura fazer contratações consideradas irregulares. Ainda de acordo com o Tribunal Eleitoral, os contratados foram obrigados a votar na chapa de Dejinha. 

Depois disso, a cidade elegeu como prefeita, Edna Lemos (PSDB) e Rejane Costa (PL), como vice. Ambas também tiveram o mandato cassado. Em 2023, a Justiça Eleitoral cassou a chapa por abuso de poder econômico durante a campanha eleitoral. A decisão inicial contra as candidatas veio em setembro, mas elas recorreram. No entanto, em novembro de 2023, a decisão de cassação foi mantida e ainda foi aplicada a sanção de inelegibilidade para Edna Lemos. 

Segundo o Ministério Público, as investigadas realizaram 385 contratações temporárias, entre março e setembro de 2022, violando a isonomia do processo eleitoral.

Em fevereiro deste ano, o Tribunal Regional Eleitoral publicou mudanças em locais de votação. Veja aqui: mudança em locais de votação, os antigos e atuais locais

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.