Professores da UFRN debatem indicativo de greve nesta terça (9)
Natal, RN 28 de mai 2024

Professores da UFRN debatem indicativo de greve nesta terça (9)

9 de abril de 2024
4min
Professores da UFRN debatem indicativo de greve nesta terça (9)
Imagem: Reprodução/ADURN-Sindicato

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Os professores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) se reúnem em assembleia nesta terça-feira, às 16h, para discutir o indicativo de greve aprovado no último dia 19 de março. O debate acontece na forma híbrida, ou seja, os docentes podem escolher participar de forma presencial ou remota. Presencialmente, a atividade será no auditório Otto de Brito Guerra, localizado na reitoria da UFRN, campus Natal.

Assim como nos institutos federais, a adesão à greve dos servidores das universidades de mesmo âmbito também tem crescido. Desde 11 de março, o Sindicato Estadual dos Trabalhadores em Educação no Ensino Superior (Sintest), que reúne os técnico-administrativos da UFRN, deflagrou uma greve que pede a reestruturação do Plano de Carreira dos Cargos Técnico-Administrativos em Educação – PCCTAE, incluindo a recomposição salarial.

No caso dos professores da UFRN, organizados pelo ADURN-Sindicato, inicialmente a proposta da greve estava fora de pauta em assembleia que ocorreu no dia 19 de março. No entanto, o ponto foi incluído no debate a pedido dos próprios professores, que demonstram insatisfação com a posição atual do governo federal de não dar nenhum reajuste salarial aos servidores neste ano de 2024.

Em dezembro do ano passado, o governo oficializou proposta de reajuste de 9% em duas parcelas, para os próximos dois anos, mas sendo a primeira em maio de 2025 e a segunda em maio de 2026. Os docentes também esperam uma recomposição nos auxílios voltados à alimentação, saúde e creche, que são exclusivos para os docentes da ativa e não contemplam os aposentados.

Além disso, os professores ainda destacam a questão das verbas destinadas à UFRN, que terminou o ano passado com um déficit de cerca de R$ 10 milhões. "Havia grande expectativa do novo governo recompor as verbas para educação superior e o que a gente tem visto é a diminuição, o que vai inviabilizando a própria oferta de educação pública de qualidade nesse nível” , afirmou anteriormente o professor Fellipe Coelho Lima, do Departamento de Psicologia da UFRN, em entrevista à Agência Saiba Mais.

Após a assembleia desta terça (09), será feita uma consulta em plebiscito à categoria dos professores da UFRN para definir sobre a deflagração da greve.

Paralisação nos IFs

Mais de 400 unidades da rede federal, de 23 estados, já aderiram à greve dos professores e funcionários técnico-administrativos dos Institutos Federais, por tempo indeterminado, desde o seu início, em última atualização realizada pelo Sindicato Nacional dos Servidores da Educação Básica, Profissional e Tecnológica (Sinasefe). A maioria das instituições iniciou a paralisação na quarta-feira (03) passada, incluindo o Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN).

Nacionalmente, além dos IFs, também já aderiram ao movimento o Colégio Pedro II, o Instituto Nacional de Educação de Surdos, o Instituto Benjamin Constant e a Cefet-RJ, no Rio de Janeiro, bem como escolas e colégios federais vinculados ao Ministério da Defesa.

Os institutos e universidades federais, bem como demais instituições que se somam à greve, formam um movimento nacional de mobilização. No caso dos IFs, a categoria de servidores pede por reajuste salarial, pela reestruturação das carreiras e pelo "revogaço" das medidas dos governos dos presidentes Michel Temer (MDB) e Jair Bolsonaro (PL), além de pedir por novos concursos para a contratação de mais trabalhadores.

Matéria atualizada às 11h44 do dia 09/04/2024.

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.